A relação entre a identificação com o outro e o desenvolvimento pessoal e espiritual:

Você deve ter percebido que um mesmo fato causa reação totalmente diferente a até oposta nas pessoas. E você já se perguntou por que irmãos criados pelos mesmos pais, embaixo do mesmo teto são tão diferentes? Ok, parece muito óbvio né, mas na prática ficamos inconformados. Essa é uma prova de que cada pessoa é única, que cada um tem uma história e um caminho diferente a seguir em busca do seu desenvolvimento como ser humano. E qual seria o nosso objetivo aqui na Terra? O desenvolvimento espiritual. A nossa missão de vida é sairmos daqui melhor do que chegamos. E é por isso que convido você agora a fazer a seguinte reflexão:



– se você está com dificuldades de relacionamento com o seu chefe, pois acha que ele é muito duro (um exemplo), talvez seja exatamente esse ponto que você precise trabalhar agora: a flexibilidade;

– ou ainda, pode ser que precise trabalhar a humildade e aceitar que está hierarquicamente abaixo do seu chefe;

– ou pode ser que precise trabalhar o ego (aquele macaquinho que vira um gorila quando é contrariado, que seria como uma criança que se joga no chão quando a mãe não compra o sorvete);


– ou simplesmente aceitar que não precisa provar nada pra ninguém;

– ou talvez aprender que a melhor forma de sair dessa situação é você se superar, e ser melhor que você mesmo, e não melhor que outra pessoa, porque a comparação é destruidora.

Pode ser que com a finalidade de ajudar o outro por algum motivo, mesmo que você não deseje fazer por vontade própria, o destino colocou essa situação no seu caminho. E quanto mais você se rebelar, mais complicado e maior o “problema” vai ficar. Eu coloco problema entre aspas porque chamamos de problema toda dificuldade que aparece em nossa frente, e essa denominação nos causa um sentimento de peso nas costas. Somente pelo ato consciente de colocar o “problema” como simplesmente mais uma situação a resolver, isso  já pode inconscientemente nos ajudar a dissipar esse peso, e até encontrar um caminho saudável de solução.


Hoje estamos na era da informação, e por isso, é possível racionalmente pensarmos nos benefícios do ganha-ganha, quando as duas partes ganham em aprendizado e desenvolvimento humano, justamente pelo motivo de cada indivíduo ter os seus talentos e contribuições especiais para o grupo. Acredite, mesmo que você ainda pense que sua vida é responsabilidade somente sua, e que suas escolhas não interferem na vida do próximo, dê uma olhada na nossa sociedade: ela é um espelho do ser humano. Você pode ser um cidadão exemplar e cumpridor de suas obrigações, entretanto, paga pelos que não são.

Tudo muda. E não sou eu quem profetizo isso. Essa é uma lei universal: o movimento. Mesmo que você acredite que seus dias são iguais, e está tudo igual, é interessante começar a avaliar que você tem todas as suas células mudadas em seu corpo entre um período de 11 a 36 meses. Então, tudo passa. A felicidade passa, a tristeza passa, a dificuldade passa, a satisfação passa, a alegria passa. O que pode ficar é o crescimento que as situações nos trazem, e a leveza que isso nos proporciona.

E é exatamente nesse ponto da consciência da identificação que você pode se perguntar: mas qual a relação disso com o meu cotidiano? Simples: quanto mais você perceber nas situações diárias, e quanto mais você conseguir se libertar daquilo que lhe traz tristeza, maior será o seu desenvolvimento espiritual quando descobrir que aquilo veio até você para o seu crescimento. Isso chama-se aceitação. É como se fosse uma escada de ascensão: quanto mais compreendemos a nós mesmos, mas conseguimos perdoar e superar aquilo que nos é apresentado, e assim mais fortes e leves ficamos. Você já ouviu dizer que cada pessoa tem sua cruz? E que ninguém pode carregar a cruz do outro? Ou seja, você pode até interferir no caminho de outras pessoas, e inclusive complicar e muito a sua vida por isso ao entrar no papel do outro, entretanto, o caminho para a sua evolução espiritual, somente você poderá trilhar. Por isso é tão importante sabermos discernir exatamente qual o nosso papel em cada situação, para não interferirmos negativamente na vida de outras pessoas atrapalhando o  desenvolvimento delas.

Eu sei que o primeiro pensamento é: “porque comigo?” “porque eu”? E o motivo é que tudo acontece na hora certa, do jeito certo, com as pessoas certas. Mas e aquelas tragédias com inocentes? E aquelas situações horríveis que acontecem com as pessoas boas? Somente elas têm o poder para apreender com a própria vida. A nós cabe somente o perigoso julgamento.

As leis são para todos nós, seres animados e inanimados de todos os tipos. Cada um no seu estágio. Se muitas vezes eu mesma não tenho sabedoria para ver claramente as causas dos meus resultados, como posso julgar o resultado alheio?

Como você pode ver, o movimento é universal. Assim como o sol nasce todos os dias sem a sua ajuda, incessantemente a roda da vida gira, você deseje ou não, você acredite ou não. Como diz o filósofo francês Jean-Paul Sartre na obra “O existencialismo é um humanismo”: “(…) o homem nada é além do que ele se faz.” É ação e reação. Por isso, eu convido você a caminhar rumo ao seu desenvolvimento um degrau por dia, um dia de cada vez. Um beijo e até semana que vem.

Simoni Venturini

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.