Resiliência: como posso conquistá-la?

11min. de leitura

Sua vida parecia bem, transcorrendo sem maiores problemas. Então, uma situação adversa acontece e deixa você “sem chão”. Triste, você precisa escolher ser aquela pessoa que vai ficar parada sofrendo, ou vai seguir em frente. Se você escolheu a segunda opção, parabéns! Você descobriu a resiliência!



Ouvimos muito esse termo, ultimamente — sobre como ser resiliente torna o olhar sobre a vida mais positivo e traz muitos benefícios para o âmbito pessoal e, também, profissional.

Isso porque uma das grandes capacidades do resiliente é enfrentar as adversidades com serenidade — mudando a forma como se relaciona com os outros, melhorando, assim, o convívio em casa, no trabalho e entre os amigos.

A boa notícia é que essa capacidade de renascer a cada obstáculo não é uma condição inata: ela pode ser aprendida, com esforço diário e dedicação. Pensando nisso, nesse artigo, você entenderá melhor sobre a resiliência e dicas infalíveis para adquirir essa qualidade que mudará a sua vida!



Entenda o que é resiliência

A palavra tem origem no campo da Física, onde resiliência designa o nível de resistência de algum material frente a todo tipo de pressão sofrida, juntamente à sua capacidade de retornar ao estado inicial, sem danos ou rupturas.

Depois, o termo foi adaptado para a Psicologia, a fim de definir as pessoas que conseguem se recuperar emocionalmente, após sofrerem adversidades de todos os tipos e níveis.

Também na Filosofia, o chinês Confúcio, que viveu por volta de 500 anos A.C., parece ter se referido a essa capacidade ao definir: “Nossa maior glória não está em nunca cair, mas em nos reerguermos a cada vez que caímos.”.


Em outras palavras, ser resiliente é a habilidade de “dar a volta por cima”, de conseguir se reinventar, se for preciso, se desenvolver e crescer — mesmo em momentos difíceis. É aproveitar cada obstáculo como oportunidade única de mudar algo em nós (que, provavelmente, já precisava há muito tempo) para sermos mais felizes. 

E não pense que a resiliência nos torna apáticos ou racionais demais perante os obstáculos. Aliás, para deixar claro: a pessoa resiliente também fica frustrada e sente a sensação de fracasso quando algo adverso ocorre — entretanto, a diferença está na sua capacidade de alterar esse estado rapidamente, obtendo a força interna necessária para superar os problemas.

E, para mudar, o processo é gradual, adquirido a cada experiência e inspirado pela vontade de transformar cada situação em um aprendizado. 


Saiba por que é tão importante ser resiliente

Diariamente — seja na vida pessoal, seja na vida profissional —, são inúmeros os desafios com os quais nos deparamos. Às vezes, as situações são tão controversas que nos fazem duvidar ou, pior ainda, nos fazem desistir de nossos sonhos — trazendo à tona sentimentos negativos, como frustração e ressentimento.

Nessas horas, entra a importância fundamental de sermos resilientes: enxergar e interpretar os acontecimentos da vida de uma forma mais otimista, focando nas soluções, e não nos problemas, e nos esforçando para desenvolver todas as ferramentas necessárias para ultrapassar os desafios

Hoje, é uma qualidade bem vista em todos os campos, principalmente no empresarial. Também é esperada em grandes líderes, já que um profissional resiliente consegue se manter firme, centrado e demonstra grande jogo de cintura diante de situações de crise e de estresse.

Além do mais, as grandes empresas preferem pessoas que não se deixam abater por qualquer situação. Em geral, é esperado que os colaboradores saibam lidar com altas pressões, sem, entretanto, comprometer a qualidade dos serviços prestados.

Contudo, a capacidade humana de resistir e enfrentar com otimismo, tranquilidade e coragem os infortúnios diários é uma competência que precisa ser desenvolvida dentro de todos nós — independentemente da área de atuação, pensando, até mesmo, em quem não está inserido no mercado de trabalho.

Daí vem a necessidade, na maioria das vezes, de “renascer”, de deixar de lado algumas características do passado para se tornar “alguém novo” — descobrindo, inclusive, qualidades que você nem sabia que possuía.

Para tanto, é preciso desenvolver equilíbrio e inteligência emocional, aprendendo a lidar com as dores e os obstáculos com mais serenidade e força, tornando cada acontecimento “menor” aos nossos olhos. O resultado é tornar-se vencedor de si mesmo e dos próprios problemas. 


Confira 8 hábitos para conquistar a resiliência

Veja, a seguir, alguns exercícios cotidianos e essenciais para você se tornar uma pessoa resiliente:

1. Exerça o autoconhecimento 

A primeira atitude para você se tornar mais tranquilo e forte é aprimorar a capacidade de reconhecer a si próprio de forma mais positiva.

Nesse sentido, acredite que você é capaz de enfrentar qualquer obstáculo, mantendo a autoestima elevada. Para isso, é preciso entender quais são seus pontos fortes, suas fraquezas e como você pode cuidar de si, criando uma nova percepção a respeito de quem você deseja se tornar.


2. Encare desafios ou erros como crescimento

Tentar algo e errar é muito mais comum do que se imagina. E, com certeza, é muito mais nobre e corajoso do que não fazer nada por medo de fracassar. Por isso, se não der certo na primeira vez, não desista e nem se culpe! Considere, sempre, que toda tentativa é um passo rumo ao sucesso e, também, uma oportunidade de aprender algo novo e crescer.


3. Desenvolva a gratidão

Se todos os acontecimentos contribuem para o nosso crescimento pessoal, devemos ter gratidão constante por qualquer situação ou pessoa que aparece em nosso caminho. Na verdade, ser grato é um dos princípios de vida que devemos ter em nosso coração para nos ajudar a reerguer em situações difíceis.

Quando desenvolvemos a capacidade de agradecer, mesmo diante das dificuldades, somos tomados por um sentimento enorme de esperança e amor, e atraímos pessoas e situações vibrando nesse sentido. A partir daí, ganhamos uma rede de conforto e de apoio universal que é necessária para resolver qualquer problema. 


4. Mantenha-se otimista

Foque sempre na solução, não gaste energia com o problema! Se for olhar para trás, busque melhorias e “dicas” para não repetir erros e ser mais feliz. Também procure deixar a lamúria de lado: afinal, sofrer não altera o que está acontecendo em sua vida. Além do mais, resultados positivos só vêm com atitude e mudança de sentimentos e hábitos.


5. Pratique exercícios 

Exercícios físicos, em qualquer idade, são ótimos aliados da saúde! A maioria é, também, essencial para desenvolver habilidades importantes, como disciplina, concentração e força de superação — imprescindíveis para a manutenção do equilíbrio emocional.

Artes marciais e yoga, além da concentração, contribuem para manter a mente relaxada. Atividades coletivas, como voleibol e basquete, ajudam a desenvolver a capacidade de aceitar as diferenças e ser flexível, pois precisam de um trabalho em equipe para dar certo.


6. Desenvolva a criatividade

A sensação de estar criando algo original ou transformador nos traz sentimentos de motivação e de esperança. Por isso, desenvolver a criatividade é uma das melhores formas de voltar os nossos pensamentos para encontrar a solução de um desafio.

Talvez, por isso, pessoas resilientes costumam desenvolver o gosto por novidades na rotina — pequenos desafios que as fazem ter que pensar “fora da caixa” para encontrar saídas nunca imaginadas.


7. Aceite as mudanças

Tem gente que, em caso de qualquer imprevisto, fica revoltada com os outros e consigo. Nesse sentido, a incapacidade de se adaptar às mudanças é prejudicial ao próprio bem-estar e, também, ao convívio social — pois quem não sabe lidar com adversidades acaba se tornando uma pessoa impulsiva, controladora e isolada.

Assim, a resiliência dá a capacidade de aceitar o mundo como ele é, sem querer mudá-lo a seu favor ou controlar os acontecimentos. É sair da zona de conforto e entender que, para viver bem e feliz, é necessário, portanto, ter a habilidade de constante adaptação.


8. Seja humilde

Ninguém é o centro do universo, e isso é um fato. Aceitar críticas e permitir que os outros nos apontem as falhas para nosso crescimento são características de pessoas humildes e resilientes. Na verdade, saber ouvir é saber viver em sociedade. 

Além do mais, é melhor receber críticas do que falsos elogios, certo? Pois quem vive sob o teto de bajuladores não enxerga seus pontos fracos e não cresce. 

No final, com humildade e resiliência, a pessoa consegue tornar-se cada vez melhor, pois sabe que precisa se superar a cada dia para sobressair seus pontos fortes. Mais ainda: aprende a enfrentar as adversidades com o olhar honesto e de “aprendiz”, tendo em mente que a vida vai muito além do estresse e da ansiedade perante um desafio.


Gostou do artigo? Quer saber mais sobre esse e outros assuntos para mudar a sua vida? Siga-nos nas redes sociais — estamos no Facebook, no Instagram, no YouTube e no Twitter!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Rock Content

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

* Matéria atualizada em 25/06/2018 às 14:02






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.