Respeitar o outro como a si mesmo é respeitar a força divina que nos criou

5min. de leitura

Respeitar o outro como a si mesmo é respeitar a origem comum a todos nós, é respeitar a força divina que nos criou e ao outro também.

Este é um assunto que assume uma lógica na vida dos seres humanos, porque nascemos, vivemos e morremos através dos outros.



Em nossas vidas tudo acontece sempre através dos outros. Quando fomos gerados e nascemos, foi através de outras pessoas e mesmo todos os nossos processos a partir do nosso nascimento foram desenvolvidos através e com a colaboração de outras pessoas.

Nisto estão envolvidos aqueles que nos deram o primeiro banho, que nos ensinaram a andar, falar, vestir, alimentar, ler e escrever e tudo o mais que aprendemos na vida.

Sempre outras pessoas nos ajudaram e isso continua por toda a vida. Até quando partirmos deste mundo, precisaremos que outras pessoas cuidem dos nossos restos mortais e funeral.


Trabalhando, estudando, comemorando, divertindo-se, sempre há interação entre as pessoas, sempre uns ajudando os outros a realizarem suas vidas.

É por esse simples motivo que é essencial respeitarmos uns aos outros, o modo de pensar e agir de cada um e saber da contribuição que cada pessoa dá na vida do outro, direta ou indiretamente.

Pensemos em quantas pessoas trabalharam para confeccionar as roupas que vestimos, sapatos que calçamos, os alimentos que consumimos, os aparelhos eletrodomésticos que usamos, os veículos, as residências, enfim tudo tem a energia do outro, sempre.

Portanto ser grato ao outro, respeitando e compreendendo as diferenças, por maiores que sejam, é a questão.


Imagem um avião comercial com milhões de peças de todos os tamanhos, do menor parafuso da fuselagem às peças eletrônicas complexas da cabine do piloto, todas sem exceção contribuem para que o avião cumpra sua função: voar e com segurança transportando pessoas e cargas com precisão pelo mundo.

Assim somos nós os seres humanos: nem melhores e nem piores, mas diferentes uns dos outros, cada um cumprindo a sua função para o desenvolvimento da humanidade, como se fôssemos um só.

Então imaginemos que somos uma célula do nosso corpo e que respeitando as diferenças entre células, todas contribuem para que o corpo humano funcione perfeitamente para cumprir a sua missão no mundo.

Por acaso uma célula do intestino seria melhor do que uma célula cardíaca ou hepática?

Sabemos que todas as células do corpo têm a mesma assinatura energética daquele ser que é composto pelas mesmas.

Assim, somos nós células do corpo de Deus habitando sistemas e órgãos diferenciados e cumprindo nossas funções dentro do período de vida útil de cada célula que, a seu tempo, é renovada para que o corpo continue a viver.

Respeitar o outro como a si mesmo é respeitar a origem comum a todos nós, é respeitar a força divina que nos criou e ao outro também, que faz parte do mesmo corpo, do mesmo organismo.

Quando desrespeitamos o outro, desrespeitamos a nós mesmos, porque negamos no outro a mesma força divina que nos criou e isso não é sábio, pois desta forma, não há desenvolvimento evolutivo e assim, como as células citadas neste artigo, passamos ao desequilíbrio e, como consequência ao mau funcionamento celular, que gera desorganização, teremos aquilo que chamamos de doença ou enfermidade.

Portanto, vamos procurar sempre respeitar o outro e produzir juntos equilíbrio, harmonia, paz e realizações humanas, utilizando todo o nosso potencial positivo para o bem maior.

Sejamos todos felizes como as muitas células em um só corpo equilibrado e em harmonia.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: da161 / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.