Saiba conversar com o seu filho, empodere-o emocionalmente

Você não precisa gritar com uma criança. Use o tom de voz certo, adote uma expressão facial firme. A criança é muito inteligente e captará o seu recado. Cuidado para não enfraquecer os potenciais de seus filhos e colocar no mundo pessoas sem amor-próprio.

Quero falar de um assunto que me deixa muito preocupado com os futuros adultos que teremos daqui a alguns anos. Vejo por toda parte por onde ando muitas mães, muitas mesmo, em um nível de estresse assustador, tratando os filhos aos gritos e falando palavras tão opressoras e humilhantes que, com certeza, afetarão a autoestima das crianças e fatalmente afetarão a vida afetiva e a área profissional futuramente.

Eu entendo que a vida moderna da mulher atual é muito estressante e que o excesso de tarefas deixa a pessoa cansada, esgotada e com os nervos à flor da pele, mas como um estudioso do comportamento humano e baseado na minha própria experiência, posso lhe garantir uma coisa: quando você se deparar comigo esbanjando coragem, autoconfiança, determinação, inspiração, realizando grandes feitos, conquistando sonhos e com um emocional elevado, enfrentando grandes plateias com naturalidade, pode ter certeza de que a minha desenvoltura é fruto da educação emocional que recebi, principalmente do meu amado pai que nunca gritou comigo durante a disciplina que me transformou na pessoa que eu sou hoje.

Bastava um olhar, eu já entendia a mensagem dele e logo eu entrava na linha assumindo uma postura assertiva. Entenda bem a minha observação. Não estou aqui dizendo que você não deve impor a sua autoridade diante de seus filhos. Apenas estou sugerindo que você encontre uma forma inteligente de educar, colocando sempre em palavras e gestos que você usa para se comunicar inoculando o amor como base primordial, para que a criança cresça envolvida pelo afeto!

Saiba que existe sim uma forma de agir corretamente na educação de seus filhos que é: primeiro seja educado(a) e equilibrado(a) e a criança adotará o seu modelo de comportamento como conduta.

Repito: Você não precisa gritar com a criança. Use o tom de voz certo, adote uma expressão facial firme, pois a criança é muito mais inteligente do que se imagina e rapidamente captará o seu recado.

Quando você grita para se impor, o seu desequilíbrio ativa na criança um prazer sarcástico em provocá-lo. Você ainda não percebeu que, mesmo recebendo tantas punições suas, com o tempo, a criança acabou perdendo o medo de suas reações agressivas?

Se você se separou do pai de seus filhos, evite deixar-se levar pela mágoa, para não agir pelo impulso e descontar sua raiva nas crianças. Abra bem os olhos, busque ajuda para curar as suas feridas internas e desarme os seus ressentimentos. Saiba que o seu inconsciente é vingativo e você pode machucar seus filhos como forma de punir seu ex-parceiro.

Enfim, cuidado para não enfraquecer os potenciais de seus filhos, colocando no mundo pessoas sem amor-próprio, desequilibradas, revoltadas, que vivem descarregando suas frustrações e amargura nos outros!

A palavra de uma mãe (ou pai) dita no tom de voz errado é como uma cratera que se abre no interior de quem a ouve e, derrotando o próprio filho, afundará os seus planos no abismo da decadência.

No entanto, a palavra expressada adequadamente poderá se tornar a chave certa que abrirá todas as portas criando para o seu filho as infinitas possibilidades!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / olesiabilkei



Deixe seu comentário