SALTO DE CONSCIÊNCIA: POR QUE ISSO DEVERIA TE INTERESSAR?

Em primeiro lugar, o que é esse tal de “salto de consciência”?

Às vezes pode parecer algo místico, mas não é…

É uma capacidade que todos temos de desenvolver a nossa mente para um estado no qual é possível não ser mais uma vítima de tudo o que nos acontece, e passar a ser criador da nossa própria realidade.

Isso tem a ver com a expansão de nossa capacidade como seres humanos de levar uma vida de maior significado.

O Salto: conseguir ser o observador de si mesmo

SALTO

Só que isso implica um primeiro salto, que é ser o observador de si mesmo. Ou seja, a partir do momento em que você consegue se ver como se você fosse o “observador” de si mesmo, você dá esse salto.

É como se de uma hora para a outra você passasse a ver a realidade de preto e branco para colorido. Ou como colocar óculos após ter passado uma vida a enxergar tudo embaçado.

Ou ainda – e talvez essa seja a melhor explicação – como quando você observa aquelas imagens em 3d que parece não ter nada no desenho (livro do Olho Mágico), até o momento do salto em que você consegue ver a imagem em 3d. É aquela sensação de “Uau”! Ela estava lá o tempo todo, mas você não conseguia perceber, simplesmente porque não tinha treino para isso.


Perceber o “outro” dentro de você

Com o salto de consciência acontece exatamente a mesma coisa. Você passa a perceber que tem “outro você” alí… Você passa a notar que você tem um Ego e um Observador que constituem quem você é.

E ao virar o observador de si mesmo, ou seja, ao perceber que a sua mente está o tempo todo “falando” com você, você passa a se “estranhar”, e como diz Eckhart Tolle, às vezes até rir do que sua mente te fala. Você começa a perceber o que pensa e o que sente.


E porque isso deveria te interessar?

Isso pode parecer uma coisa banal, mas não é. A partir do momento que você dá esse salto de consciência, você passa a ser capaz não só de observar o que pensa e sente, mas também de direcionar seus pensamentos e de mudar os sentimentos que não te agradam.

Ou seja, esse salto te permite ser responsável pelo seu próprio espaço interior, e então atuar conscientemente para uma verdadeira mudança.


Ser o protagonista (e não o expectador) da própria vida

E é aí que vem a parte mais interessante: você passa a ser o protagonista da sua própria realidade. Você não se deixa mais levar pelos dramas e sofrimentos que seu Ego te coloca, e se conscientiza que pode fazer algo agora para mudar a situação.

Mesmo que essa atuação signifique somente presenciar um momento de sofrimento sem se identificar com ele. Ou seja, deixar que os sentimentos te atravessem, sem se deixar levar por eles. Com a consciência de que você não é o sentimento, e de que ele vem, passa por você e vai embora. É um estado passageiro.

Isso é muito importante, pois quando você se identifica com o sentimento ou pensamento negativo, ele pode se transformar num monstro, chegando ao ponto de te levar a situações mais graves e de total perda de controle do seu estado interior. Algumas delas com sérias consequências como histeria, hipertensão ou até mesmo uma depressão.


Dar um salto de consciência é um ótimo presente para dar a si mesmo.

Ao dar o salto de consciência você passa a ser o protagonista de sua realidade. Essa idéia é muito sedutora e cativante, mas na verdade ela implica um elevado grau de comprometimento e responsabilidade por tudo o que te acontece.

Pois ao deixar de atuar como vítima das situações da sua vida, você passa a ser o responsável por elas. É um desafio e uma escolha fundamental para se realizar de verdade. Mas precisa de seriedade e disciplina.

Caso contrário você não dá o salto capaz de superar o gap evolutivo da mente humana que ainda tem muito medo de ser responsável pela própria felicidade.



Deixe seu comentário