6min. de leitura

Saúde emocional: a nossa coragem é definida pela capacidade de ser vulnerável

Aprendemos que vulnerabilidade e coragem são dois opostos, mas já chegou o momento de desmistificar essa ideia.


Definitivamente, não sou a mesma pessoa de alguns segundos atrás. Após ouvir a palestra da pesquisadora Brené Brown, passei a refletir sobre as crenças que nos afetam e em absoluto a crença de que “sou vulnerável, por isso sou fraca” é uma das que sempre estiveram presentes dentro de mim e de muitos de nós, mas chegou a hora de desmistificar e pontuar esse tema que tem sido cada vez mais atual.

O que é vulnerabilidade, afinal?

Vamos pensar sobre a vulnerabilidade. Se ouvimos de nossos pais que “precisamos ser fortes”, mas ao mesmo tempo “demonstrar as emoções e expor seus sentimentos é sinônimo de fraqueza”, então como é que se faz? Há algo muito estranho aí e nem nos damos conta disso.

Entretanto, se eu escondo a minha vulnerabilidade, ela aparece sem ser convidada, ou seja, seguir esse caminho certamente não é a solução para uma vida saudável. Ou passamos a aceitar nossa vulnerabilidade e enfrentamos as batalhas (com medo mesmo) ou ela chega invadindo as portas da nossa mente e bagunçando a casa toda.


Já é final de ano e, se você sobreviveu a 2019 com a saúde mental em ordem, parabéns, porque se há algo difícil é encararmos nossas lutas internas com a cabeça erguida, com a coragem de olhar para fora, quando por dentro tudo está nublado.

Medo da opinião alheia

Você já se deu conta do quanto a vulnerabilidade está relacionada ao medo do que os outros vão pensar de nós? Brené destaca que a opinião dos outros importa para nós, sim, e esse negócio de “dane-se o que pensam de mim”, na verdade, é só uma capa para quem tem vulnerabilidade de sobra.


Pessoalmente, considero a vulnerabilidade a coragem diária de ser, exercer e agir. Então, eu o convido a listar seus momentos de vulnerabilidade/coragem e, assim, fazer uma imersão no momento presente. Perceba a pessoa que você tem se tornado diante de todos os momentos bons e ruins, sinta orgulho da sua evolução. Você muda o tempo todo, agora mesmo você está em plena transformação.

Ter coragem, conforme exemplificado por Brené Brown, é marcar o primeiro encontro após o divórcio, é tentar de novo e ser mãe após um aborto espontâneo, é ser o primeiro a dizer “eu te amo” em um relacionamento.

Lista de coragem/vulnerabilidade. No meu caso, é:

1. Viver durante 13 anos com o pai lutando contra o câncer e não poder mudar isso.

2. Perder as pessoas que mais amo, que me ajudaram a construir quem sou: madrinha, tios, vó, pai.

3. Ter superado uma paralisia facial, sendo extremamente vaidosa.

4. Ter de levantar e ter disposição para sorrir e ouvir a dor do outro.

5. Entregar-me a todos os relacionamentos e depois chorar litros porque eu não sei gostar pela metade. Quem aí se identifica?

6. Falar das minhas dores no primeiro encontro.

7. Buscar dentro de mim força e espiritualidade para transformar o dia de alguém.

8. Ser equilibrista 24 horas por dia, tentando ser uma boa pessoa: é ser mãe da mãe, mãe da vó e mãe da irmã.

9. Ir atrás do que quero, é escrever para ajudar e mesmo assim ouvir que sou acomodada.

10. Ir trabalhar com crise de abstinência da medicação.

11. Buscar autoconhecimento a cada dia para me julgar menos.

12. Tentar fazer yoga e ficar três dias seguidos com dor no corpo e continuar tentando.

13. Fazer terapia e querer ser uma pessoa melhor a cada sessão.

14. Ir à Missa de súplica por cura e libertação e sentir medo da libertação, mas trabalhar para que isso aconteça a cada dia.

15. É sentir no corpo a ansiedade – a dor no estômago e os pés mais gelados que uma pedra, e mesmo assim aceitar falar em público e compartilhar conhecimento.

Acho que nunca me dei o devido crédito por ser quem sou, então, escrevo para você e, assim, reforço o aprendizado interior: hoje você teve coragem e tudo bem se sentir ansiosa. Você é maravilhosa, amada e um ser em perfeita evolução.

Tudo bem não ser perfeita, você é o melhor que pode ser neste instante. Seja vulnerável, seja corajosa!

Faça sua lista de vulnerabilidade e compartilhe! Quais situações fizeram você ser forte? 

 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens. Referência: Video/Documentário da Netflix/Brené Brown: the Call to Courage.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.