ComportamentoRelacionamentos

Se dói, não é amor: porque não se deve ficar em um relacionamento abusivo…

Abuso não é amor. Trata-se de poder e controle sobre outra pessoa. Começa geralmente de forma pequena em um relacionamento e se transforma em um problema maior com o tempo. O abuso geralmente não começa com dano físico, começa com dano emocional.



O abuso se agrava à medida que a relação avança. Pode não ser na forma de agressão física, mas os comportamentos de controle são muitas vezes evidentes no início do relacionamento.

É imperativo reconhecer os sinais de abuso, antes das coisas ficarem muito sérias.

O impacto do abuso é muito mais difundido do que as pessoas reconhecem


Você pode estar pensando que isso não se aplica a você porque você não está sendo abusado, mas é importante, porque alguém que você conhece pode estar sendo abusado.

O abuso não tem barreiras socioeconômicas, raciais ou culturais. Acontece com pessoas ricas e com pessoas pobres. Pode acontecer a qualquer pessoa, em qualquer caminhada de vida.


Abuso não é apenas sobre danos físicos


Muitas pessoas associam abuso a danos físicos, mas há muito mais envolvido. Abuso é sobre uma pessoa querendo ter controle sobre a outra. Esse desejo leva a uma variedade de comportamentos de controle, incluindo isolamento de amigos e familiares, ameaças, abuso emocional e muito mais.


Os abusadores podem mudar, mas não é muito provável que isso aconteça

A maioria dos indivíduos abusados ​​que permanecem no relacionamento o fazem porque esperam que a outra pessoa mude. Infelizmente, não há muita pesquisa ou dados que apontem abusadores mudando seus caminhos.


É possível? Sim, mas muitos pesquisadores, incluindo o conhecido especialista em abuso Lundy Bancroft, dizem que um agressor mudar seus caminhos é um processo longo, e só acontecerá se o agressor estiver determinado a mudar. É como uma doença que nunca realmente desaparece, só fica “dormindo”.

No caso do abuso, só ficará adormecido porque o agressor procurou ajuda e decidiu não abusar mais.

É preciso um enorme esforço por parte do agressor para mudar seus caminhos. Se você está namorando alguém que exibe sinais de abuso, precisa avaliar seriamente sobre como o seu futuro será quando o abuso se agravar com o tempo.



Como saber se a pessoa mudou

Como você sabe se o seu agressor realmente mudou ou se ele realmente parou de abusar de você?

Algumas mudanças incluem ele não criar mais desculpas para o comportamento abusivo, reconhecer os padrões de controle que subjazem o abuso, fazer as pazes com aqueles que abusou e, mais importante, apresentar novos comportamentos quando uma situação se aquece.

Você é capaz de expressar sua opinião ao seu parceiro, sem medo dele te atacar verbalmente ou fisicamente? Você é capaz de ser aberto e honesto com seu parceiro sobre seus sentimentos e se sentir confortável de que ele não vai responder abusivamente?


Se não, então ele realmente não mudou.

O abuso é cíclico. Pode estar apenas na fase pós-abuso (também conhecida como fase lua de mel). A fase lua de mel de abuso é quando seu parceiro está sendo doce e gentil, tentando compensar o abuso recente que infligiu a você. A mudança não é real se ele volta para o ciclo de abuso depois de um tempo.

A fase lua de mel é geralmente o que mantém os indivíduos mais abusados ​​no relacionamento. Eles têm tanta esperança de que as coisas permanecerão nessa fase que ficam na relação depois de um episódio abusivo ter acontecido.

Na maioria dos casos, o agressor não procurou ajuda profissional e o ciclo de abuso continuará. É apenas uma questão de tempo, antes do início do ciclo. Se você está sendo abusado, termine o ciclo procurando ajuda hoje.



Se você está sendo abusado, obtenha ajuda agora

A vida é muito curta para se permitir ser prejudicado e maltratado por outro ser humano. Ninguém merece esse tratamento.

Se um amigo ou membro da família está sendo abusado, você precisa ser solidário e ouvi-lo. É extremamente difícil para uma pessoa deixar uma situação abusiva por uma variedade de razões, então, você precisa ser solidário e não julgar.


Algumas razões pelas quais uma pessoa não consegue deixar um relacionamento abusivo: ela teme a situação, não tem dinheiro para começar uma vida por conta própria, ama a pessoa, e uma série de outras razões.

Forneça a seu amigo abusado recursos para obter ajuda, como informações sobre números para denúncia e apoio. Mais importante ainda, esteja lá para ouvir o seu amigo e não o julgue por sua situação difícil e decisões.


Se você não puder sair, crie um plano para sua segurança


Se você não está preparado para deixar sua situação abusiva por algumas das razões mencionadas acima, é importante ter um plano de segurança no local para que, se as coisas ficarem abusivas, você possa facilmente chegar a um lugar seguro.

Algumas maneiras de se preparar incluem ter um amigo ou contato específico para pedir ajuda, ter dinheiro guardado para saída de emergência e informações para um centro local em que você possa obter ajuda.


Referências: Livestrong: What Are the Causes of an Abusive Relationship? –  Lundy Bancroft: Why Does He Do That? – The National Domestic Violence Hotline: Is Change Possible In An Abuser? –  Positive Juice: An anonymous open letter to people in abusive relationships who want to stay in the relationship despite the abuse – The Domestic Violence Round Table: The Cycle of Domestic Violence – Love Is Respect: Why Do People Stay In Abusive Relationships – Stop Relationship Abuse: Develop a Safety Plan

__________

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: Life Hack

Seu dia está ruim? as ideias a seguir vão transformá-lo!

Artigo Anterior

“os grandes feitos são conseguidos pela perseverança.”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.