Se é para o bem, faça o que te faz feliz!

A atualidade nos confronta, a cada dia, na tentativa de moldar-nos, a fim de que sejamos ótimos para o mercado, exemplos para a família, populares para o mundo. Ela nos entrega uma lista de afazeres padronizados que, querendo ou não, devemos completar para que nosso currículo seja, ao menos, aceitável a todos.



Todo esse tumulto externo, inevitavelmente, acaba por abalar nosso interior, fazendo-nos sentir sensações de vazio, impotência, desmotivação… Por que fazer algo que não me agrada, simplesmente pelo fato de dizerem que é bom? Sucesso naquilo que não me atrai? Fortuna num trabalho egoísta e materialista?

Embora a atualidade conclame todas essas falsas realizações, os tempos de agora também nos permitem dizer a tão difícil e forte palavra: NÃO.

Não quero viver pelo dinheiro. Não quero essa profissão apenas pelo status. Não, não e não! Nos tempos antigos, isso era muito mais difícil, porém, hoje, não mais.


Liberdade. Somos livres para decidir o que nos faz felizes, desde que façamos, lucidamente, uma análise de tudo o que nos envolve, a fim de que não caiamos em armadilhas falaciosas, que nos levam à ruína psíquica.

A busca da real felicidade só é legítima e bem fundamentada quando guiada pela aliança entre emoção e razão. Um sentimento esclarecido não nos engana, nem nos traz más surpresas. Motivo pelo qual o sábio grego aconselhou: “conhece-te a ti mesmo…”

Não há como saber o que é melhor para nós sem que nos conheçamos, e é impossível encontrar a felicidade meio à escuridão da dúvida e da ignorância de si mesmo.

São medidas como essas que nos blindam contra as ondas de desânimo que quiçá nos assolem.


O desespero nos arrasta, e o desconsolo é a única coisa a sobrar.

É preciso, contudo, estarmos atentos ao horizonte que sempre se abre depois de nuvens carregadas se dissiparem. Elas vêm e vão, nunca permanecem para sempre.

Assim são nossos problemas: sempre cessam.

As dificuldades que a vida nos traz não são ao acaso, muito menos por simples sadismo.

Fazem-nos fortes a cada dia, a ponto de olharmos para trás, hoje, e percebermos que os reveses do passado não mais nos amedrontam.

Seriam pequenas pedras no presente…

De tal maneira devemos olhar as tempestades que nos visitam… São elas que nos engrandecem e permitem que as metamorfoses íntimas se realizem.

E, na mudança interior, surge-nos a oportunidade de sermos nós mesmos, e assim, felizes!

A felicidade se encontra em qualquer lugar, desde que enxergada e vivida com o coração íntegro e sábio.

E os Tempos que vêm são certezas de êxitos e venturas, pois, se a cada dia nos tornamos maiores, haverá momento em que tudo estará bem.

Tudo estará bem.

_______

Direitos autorais da imagem de capa: wavebreakmediamicro / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.