Se estiver em seu destino viver uma história de amor, cedo ou tarde isso acontecerá

Se estiver em seu destino viver uma linda história de amor, cedo ou tarde ela certamente encontrará um jeito de chegar até você.

Ela acredita em histórias bonitas e felizes, daquelas que não têm fim e que nem o tempo pode apagar. Acreditava que o amor é um sentimento patrício, bonito demais para ser jogado fora.

De repente, em uma tarde de outono de um dia como outro qualquer, inesperadamente, seu olhar cruzou de maneira súbita com o dele. Talvez no primeiro momento ela nem tenha conseguido notar, porque parecia que o tempo parara ali.

Era como se nada mais existisse em volta. Ele tinha nos olhos a paz que ela buscava. E mesmo no verão, com aquele sol escaldante, abrasador, eles andaram lado a lado de mãos dadas.

Ele tinha um olhar de promessas, uma ternura que acalentava a alma. Um olhar compenetrado de quem busca algo no horizonte.

De repente tudo parecia suave… como brisa leve, eles falaram por horas, mas parecia que existia um silêncio bonito em volta.

Ali começava a história de um grande amor. E tudo que era cinza, sem vida, ganhou tonalidade.

Sabe aquela história de dedinho podre, tenho que nascer de novo? Já não fazia sentido.

A vida tinha agora uma resposta para os seus devaneios. Nada foi como ela sonhava, foi melhor!

Parecia que eles já se conheciam e já se amavam… e que a vida os esperava para o grande reencontro.

Ela adorava ouvir falar de amor e certa vez ela ouviu falar que o amor era como um cavalo celado, que ocasionalmente passa a sua porta, sem sobreaviso, e quase sempre ele chega em um dia de chuva. E ela temia que por receio de se molhar tivesse deixado ir… ou, em uma tarde qualquer de verão, em que às vezes se está tão ocupado com seus afazeres, nem o tinha visto passar… então, ela já não esperava mais.

No entanto, naquela tarde, mesmo com sol escaldante, abrasador, eles trocavam passos por aí.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / galinakolavenko



Deixe seu comentário