4min. de leitura

Se eu pudesse escolher, escolheria me apaixonar sempre!

O amor chega sem aviso, quando menos se espera. E quer saber? Se eu pudesse escolher, escolheria me apaixonar sempre.

Ainda não consigo entender como aquela pessoa que até “anteontem” desacreditava no amor, achava que era tudo invenção da mídia e das pessoas que queriam se sentir melhores que as outras, de repente se vê dançando sozinha pela casa e se pega no meio da tarde com um sorriso bobo no rosto, após receber um “saudades”, e ainda ouve da colega de trabalho: “Nossa, que carinha feliz! ”. É parada na rua pelos amigos, que dizem como ela está reluzente!


De repente, toda aquela baboseira de “estar apaixonada muda nossa química” parece verdade.

De repente você se pega cantando no espelho descabelada e de pijama, e se acha linda! E descobre que estar apaixonada é muito mais sobre nós mesmos do que sobre o outro.

É sobre como o outro faz a gente se sentir, e como passamos a agir a partir disso. E que estar feliz também pode ser motivo de choro – de felicidade.

A gente inclui o outro na nossa rotina, mesmo nos menores detalhes, mesmo que apenas mentalmente. Lembra do outro sem querer e nos momentos mais improváveis. Sente vontade de compartilhar absolutamente tudo. Pensa no que agradaria, no que faria o outro feliz, porque esse se torna o motivo da sua felicidade. Você quer que ele se sinta especial, único.


Mesmo ouvindo a todo instante que você “não pode ser tão disponível”, “não pode demonstrar tanto o que sente”, “ele tem que sentir sua falta”, você quer sim se entregar, e qualquer coisa diferente disso não faz o menor sentido. E você percebe que ama não apenas o que a pessoa é, mas também o que ela almeja, e tudo que ela faz para chegar lá.

Estar apaixonado é acreditar que a pessoa lhe mandou mensagem porque estava, sim, com saudades, não só porque queria marcar território.

E quer saber? Se eu puder escolher, esse é o tipo de pessoa que eu quero ser. A que espera o melhor do outro sempre. E que se sair ferida, sai de cabeça erguida, com a certeza de que deu o melhor de si, e esperou o melhor do outro. E não acredito que alguém seja “trouxa” por criar expectativas. Trouxa é quem alimenta expectativas com más intenções. Ou sem nenhuma intenção.

E não importa o tempo que dure. Pode ser um ano, podem ser dois meses, isso nos transforma, e nos faz chegar um pouco mais perto do nosso propósito de vida, daquilo que buscamos ser.


O amor chega sem aviso, quando menos se espera. E quer saber? Se eu pudesse escolher, escolheria me apaixonar sempre.

“Porque metade de mim é amor… e a outra metade… também”


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / lightfieldstudios





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.