3min. de leitura

Se não acrescenta, não tem motivos para ficar

Não sei em que momento você se encontra quando ler este texto. Confesso que o meu está naquele momento tipo assim: “se não acrescenta não tem motivos para ficar”.

Algum tempo atrás eu era aquela pessoa que se anulava em prol do outro, isso envolve relacionamento, família e até mesmo amizade.


Fui daqueles seres humanos que derramaram muitas lágrimas, correram atrás de muitas pessoas e até mesmo sonhos, que no final se tornaram pesadelos.

Lutei por alguns planos que hoje defino como “tolos”, e insisti por alguns objetivos extremamente banais.

Mas chega um momento que a vida, as pessoas e as circunstâncias simplesmente e naturalmente nos amadurecem. Esta é a lei da vida, da natureza e da nossa existência.


Então você passa a viver um novo tempo, em outro cenário, provavelmente com os mesmos personagens, os mesmos roteiros e, infelizmente, com as mesmas chantagens emocionais.

A única diferença é que não tem mais sentido você se anular ou assumir uma responsabilidade que nunca foi sua.

Com o passar do tempo, nós nos tornamos flexíveis a determinadas situações e pessoas, e aquilo que não faz bem para nós, passa a não fazer parte da nossa vida. Até podem ter a nossa atenção, mas não têm mais o nosso fôlego.

Então, começamos naturalmente a selecionar o que deve ficar e o que sair da nossa vida, isso inclui várias coisas e pessoas também. Mesmo que venham as cobranças, a vida, por si só, tira do nosso caminho o que já não tem necessidades de permanecer.


E, de certa forma, você entende que, se não acrescenta, não tem motivo para ficar.


Direitos autorais da imagem de capa: wallhere.com / 46151





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.