5min. de leitura

“Se o homem buscasse conhecer a si mesmo, primeiramente, metade dos problemas do mundo estariam resolvidos.”

Você é um “auto-sequestrado?”

Já parou para se questionar sobre isso alguma vez? Quem ou quê tem sorrateiramente ou subitamente ou até mesmo covardemente lhe roubado de si mesmo?


Bom, é preciso antes entender, refletir sobre tal indagação.  Você tem permitido que outros sejam donos de sua vida e autores de sua história? Tem permitido que suas decisões sejam tomadas por terceiros?  

Cuidado como tem levado a vida. Se você se permite roubar, é como dar carta branca para que terceiros façam o que bem entenderem e ainda lhe subestimar as capacidades e qualidades. Ao assistir uma profunda e sábia pregação do Pe. Fábio de Melo sobre sermos “sequestrados” de nós mesmos por diversas vias, maneiras e/ou pessoas, fiquei estagnada ao perceber que, por muitas vezes, dei permissão para que me roubassem de mim e ainda senti a culpa.

A pregação do Pe. Fábio foi um alerta para pensar, refletir e reagir, pois eu tenho a minha história desde o ventre de minha mãe, assim como cada um de nós.


Não se permita sequestrar por indivíduos que mediocremente vivem suas vidas sabendo que precisam mudar, mas por pura covardia, não movem um dedo sequer para isso.

E assim, como não conseguem evoluir, massacram emocionalmente os outros para diluir a luz que eles mesmos apagam, dia após dia.

Obviamente, que muitos precisam de ajuda, porém aí que está o ponto: nem todos admitem que precisam de ajuda emocional para amadurecer algumas áreas de sua existência e seguem na sobrevivência de amarguras e danos ao próximo, como um vampirismo.


Cuide de suas emoções, do seu intelecto, do seu espírito. Não faça uma caminhada torpe e contorne sabiamente obstáculos (por mais difíceis e dolorosos que eles sejam), pois não é a lamentação que irá a ajudar ter forças e reagir. 

Nós estamos, sim, vivendo numa “sociedade sequestrada” porque dizemos sim quando é para dizer não e dizemos não quando é para dizer sim. E tudo isso para quê? Simplesmente por medo, vaidade, orgulho, incertezas.

É normal, é claro termos dentro de nós esse mosaico de emoções devido a nossa humanidade, contudo, se nos perdemos em nossas emoções, será o início de nosso “auto-sequestro”.

Observe e observe-se. Veja como você age com determinadas pessoas que se aproximam com intuitos dúbios ou, então, pessoas que não lhe fazem nada bem, mas por pena permitimos que se estenda a estada dela em nossas vidas. Pergunte-se: POR QUÊ? POR QUÊ TENHO QUE ATURAR  ESSA SITUAÇÃO EM MINHA VIDA? Sim! Pergunte-se com coragem! Aí, verá que suporta tantas coisas inúteis que não eram para acontecer; aos poucos sua carga vai aliviando, seus ombros vão se levantar e sua área vai se autoiluminar também.  

Portanto, tenha respeito consigo mesmo e não permita mais o sequestro de si mesmo. Atenção às palavras e atitudes; seja firme e sábio e não rude ao querer dar um basta em situações que o sequestram de si mesmo.

Ao longo dos retornos dos nossos “auto-sequestros”, percebemos que a vida é muito mais simples, mais leve e mais interessante quando sabemos escrever nossa história com a colaboração positiva de pessoas que sejam acréscimo para o nosso aprendizado, e não pessoas que ainda não encontram seu ponto de equilíbrio e buscam apenas “enterrar” o próximo.

Como reflexão e questionamento ao nosso EU, essa frase de John Lennon possibilita a ampliar a visão de nossa trajetória até o momento:

Se o homem buscasse conhecer a si mesmo, primeiramente, metade dos problemas do mundo estariam resolvidos.” – John Lennon

Conheça a si mesmo e não se auto-sequestre mais!

______________

Direitos autorais da imagem de capa: chalabala / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.