ColunistasRelacionamentos

Se o medo de perder e tensão negativa forem maiores do que o prazer de estar junto, o término tornar-se-á inevitável

se o medo

Se o medo e tensão negativa forem maiores do que o prazer de estar junto, o término tornar-se-á desejado, muitas vezes inevitável, e muitas vezes ainda UM ALÍVIO.



Um paciente certa vez me disse que sua esposa lhe monitorava feito um grupamento de polícia ?‍♀️ designado para conter atividade potencialmente perigosa.

Enquanto namorada, ela sempre foi tranquila, porém, após o casamento, uma espécie de força maligna se apoderou dela e a transformou num animal horrendo e persecutório. O resultado desta transformação foi o esfacelamento do gostar e o surgimento do anseio pelo divórcio, por parte dele. Mas ele não conseguia pedir o divórcio, apenas o desejava (sobre este ponto crucial falarei alhures).

Este é um típico quadro onde o medo da perda entra em cena de uma maneira nefasta e estraga o que estava se desenvolvendo saudavelmente.


Tem gente que é vítima do medo da perda desde o primeiro instante, porém tem gente que precisa sentir que o território é seu para daí temer que ele seja ameaçado.

Tem ainda aqueles que ficam mais do que temerosos, FICAM PARANOICOS depois que levam a relação a um nível de compromisso maior. É como se sentissem assim: “antes, se eu perdesse, tudo bem, pois nem era meu mesmo; mas agora, se perder, terei fracassado em conservar o que é meu, e poderei nunca mais ter nada para mim”. Nestes casos é que se incluem os que modificam seu comportamento depois de casados ou depois de notarem que o namoro se sedimentou.

Ora, os que imaginam que seu ambiente está ameaçado tendem a ser mais agressivos. Agridem O TEMPO TODO com desconfianças e cobranças que provocam um clima EXATAMENTE HOSTIL, o que deságua na desintegração do relacionamento.

A história do meu paciente é um alerta para todos os que temem neuroticamente perder seu objeto amoroso: se o medo e tensão negativa forem maiores do que o prazer de estar junto, o término tornar-se-á desejado, muitas vezes inevitável, e muitas vezes ainda UM ALÍVIO.


Queres uma relação saudável, gostosa e duradoura? Começa procurando modos de superares os medos que te assombram.


>
Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf.com / fizkes


Quem lhe faz mal revela o desvalor de si mesmo, não o seu

Artigo Anterior

Pare de correr atrás de quem não o valoriza. Afaste esses relacionamentos unilaterais de sua vida

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.