ColunistasPais e Filhos

Se o seu namorado tem filhos, leia isto!

Se o seu namorado

Viver um amor com alguém que tem filhos pode ser um desafio, mas também pode ser um presente, depende do modo como você conduz essa relação.



Neste contexto, adotarei seis regras para você que está numa relação que envolve filhos.

Atenção: só siga nessa matéria se você realmente quer algo sério com a pessoa. Pessoas que têm filhos tendem a ser mais cautelosas em relacionamentos, com toda razão, então se você ama a pessoa e quer algo sério, vá em frente. Do contrário, não envolva a criança em um mero capricho seu.

1. Nunca queira seu amor só para você


Ele tem um filho, alguém que é parte dele e que, possivelmente, seja criança ou adolescente, depende dele. Esse filho necessita de amor, assim como você necessitou do amor dos seus pais. O amor de pai e de mãe é algo que nos molda, que nos faz ser quem somos, então nunca, em hipótese alguma, dê chilique ou brigue por ciúmes de um filho! Você não é a criança! Você é um adulto é independente e o amor paterno é diferente do amor que existe entre você e ele.


2. Seja paciente

Sim, algumas vezes você terá que entender que crianças ficam doentes, que existem reuniões escolares e que é importante que os pais participem, que existirão compromissos que precisarão ser adiados por uma coisa ou outra, mas lembre-se: crianças crescem e tocam a sua própria vida. Se você for paciente, tudo vai se encaminhar e você terá uma família feliz. 



3. Não incentive o seu companheiro a não pagar pensão

O pagamento de pensão é um direito da criança, assim como a convivência com os pais, então, se você algum dia começar a julgar isso, só imagine se aquela criança fosse o seu filho e perceberá que um filho precisa de roupas, de calçados, de material escolar, de dentista, médico, de lazer e de amor, portanto, seja coerente e incentive o seu companheiro a manter a pensão e a convivência em dia.



4. Não fale mal da mãe da criança perto dela

Tudo bem você pode ter as suas razões para a não gostar da ex do seu companheiro, mas se você não consegue manter um bom relacionamento com ela, evite vê-la e principalmente falar mal dela. Não importa o que você acha dela, importa apenas que ela seja uma boa mãe para a criança em questão; e filhos tendem a defender as mães, logo, se você fala mal dela, a criança pode passar a não gostar de você.


5. Não queira que a criança a chame de mãe


Essa é uma regra importante! Você pode ser a melhor madrasta do mundo e a criança pode amar você, o que é simplesmente maravilhoso! (Você também pode amá-la como se fosse sua). Tratá-la como um filho é o melhor que pode acontecer, mas nunca queira que ela a chame de mãe, ela tem uma mãe e você não deve querer ocupar esse lugar na vida dela. Faça com que ela se sinta à vontade, que confie e ame você. Com toda certeza, você terá um lugar muito especial na vida dela, mas você nunca será a mãe. Não force isso!


6. Aproveite

Curta esse momento com a criança, você e o seu amor terão momentos só de vocês, então, quando estiver ao lado da criança, brinque, planeje atividades que envolvam vocês como uma família, coisas que divirtam a todos: vão ao cinema, façam viagens, façam passeios ao ar livre. Com certeza, o relacionamento entre você e seu amor vai andar muito bem, se você demonstrar que gosta do filho dele. Você verá que a relação entre vocês será um presente e haverá muito amor envolvido.



Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/iakovenko


O apego ao desapego: não é possível viver em estado de desapego o tempo todo

Artigo Anterior

Suas dificuldades são sua responsabilidade, as facilidades também. Saiba aproveitar!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.