publicidade

Se quiser saber como ser mais produtivo, leia isto!

Não importa o quão produtivos somos, sempre fica aquele sentimento de “ah, dava para ter feito um pouquinho mais”, não é mesmo?



Todos nós já tivemos uma noite mal dormida, um dia estressante ou um período de muitas demandas. Todos nós já nos sentimos esgotados, completamente sem bateria, isso acontece com todo mundo, uma hora ou outra. O grande problema é que, muitas vezes, até mesmo quando chegamos a esse ponto, a gente não se permite descansar, mas sim nos preocupamos em como nosso dia poderia ter sido ainda mais produtivo. Nem nos damos conta do quanto dar uma pausa é importante!

A supervalorização da produtividade

Nós vivemos em um mundo que valoriza muito o fazer, a produtividade, a multitarefa. Vivemos na ansiedade de cada vez fazer mais e melhor. Sempre pensando em como ser mais produtivo, acreditando que, não importa se damos o sangue para realizar algo, nunca é e nunca será o suficiente.

Vira e mexe eu me sinto exatamente assim – e converso com muita gente com o mesmo sentimento. Com essa sensação de que fazemos pouco, acabamos nos desdobrando e nos desgastando para sempre entregar mais e mais.

E não importa o quão produtivos somos, sempre fica aquele sentimento de “ah, dava para ter feito um pouquinho mais”, não é mesmo?


A gente entra nessa bolha de produtividade e esquece que descansar é essencial para ser ainda mais produtivo. Até a melhor faca de corte uma hora precisa ser afiada. Só assim ela poderá cortar muito melhor e com muito mais eficiência.

Até o melhor instrumento uma hora precisa parar de ser tocado para ser afinado e produzir um som ainda mais agradável.


A gente no fundo sabe disso, mas por que é tão difícil colocar em prática e descansar sem culpa?

A raiz é muito mais embaixo!

Quantas vezes você já saiu de um dia de trabalho sonhando com a hora de descansar e, assim que sentou no sofá, voltou a pensar no trabalho e até sentiu essa “culpa” por não ter feito mais? Eu aposto que isso já aconteceu com você também e aí acordou no dia seguinte cansado novamente, sem tanta energia para ser tão produtivo quanto gostaria.

Esse ritmo frenético vira um ciclo vicioso. E é aqui que eu quero ressaltar algo muito importante! Isso tem pouco a ver com a sua produtividade de fato.

Por mais estranho que pareça, a raiz do problema de você não conseguir ser mais produtivo, normalmente, está muito mais embaixo.

Esse desespero (sim, chega a ser quase um desespero em certas situações) por sempre fazer mais, comumente vem lá da sua infância. E você o fortalece durante toda a vida, das mais diversas maneiras.

Essa sensação vem de momentos importantes do seu aprendizado, quando você entendeu que tinha que fazer algo para ser aprovado, para ser amado, para receber os elogios dos seus pais (que na infância são o mundo para nós!). De quando você entendeu que precisava FAZER e não bastava simplesmente SER. Pois muitas vezes, quando uma criança é quem é, ela erra, faz “arte” e leva bronca dos pais.

E toda vez que faz algo certo, os pais comemoram, riem e dão mais demonstrações de amor. Isso sem contar aquelas vezes em que ouvimos um “não fez mais que a obrigação”, quando demos o nosso melhor na escola, ou um bullying, por exemplo.

É um processo natural, ninguém tem culpa de nada.

Simplesmente acontece e isso fica registrado no nosso inconsciente sem que percebamos.

Então, essa necessidade de fazer as coisas certas, de perfeição e de não ter necessidades, acaba refletindo em comportamentos que muitas vezes carregamos até os dias de hoje.

Muitas das vezes em que não fazemos mais, que não sentimos que fizemos o suficiente, é um reflexo e projeção do que aquela criança entendeu: que ela precisava FAZER sempre mais e melhor para ser amada e importante.

E eu sei que pode parecer confuso e até assustador se dar conta disso. Mas perceba se isso ressoa em você de alguma forma e procure buscar em sua memória esse tipo de situação na sua infância!

Pode lhe trazer muitos bons insights!

Mas a boa notícia é que hoje nós podemos quebrar velhos padrões!

Sim! Percebendo e identificando essas origens a gente pode trazer uma nova consciência para tudo isso e curar esses padrões inconscientes.

Você pode ter todas as melhores ferramentas e estudos sobre alta-performance e como ser mais produtivo, isso com toda certeza vai ajudar! Mas enquanto não entender (e curar – existem diversas técnicas para isso) de onde vem essa necessidade, hora ou outra pode acabar se sabotando e caindo nesse ciclo novamente.

Tendo essa percepção fica mais possível “negociar” com nós mesmos (e a nossa criança), nos dar mais amor e trazer mais compreensão para os nossos comportamentos. Pois é a partir da consciência que nos tornamos capazes de mudar de fato.

Não estou falando que é da noite para o dia que isso acontece, ou que é como uma pílula mágica, e muito menos, que ferramentas de produtividade não funcionam (pelo contrário!), mas, sim, que a verdade também liberta e cura.

Você pode escolher hoje dar essa aceitação e esse amor que aquela criança queria. Você pode se permitir o autocuidado, afinar o seu instrumento.

Isso não quer dizer se conformar ou paralisar, mas apenas se permitir descansar sem CULPA.  Dar uma pausa com a certeza de que fez o seu melhor, que amanhã você pode SER melhor ainda e assim, FAZER cada vez melhor como consequência. E não como provação para ninguém.

Descansar e recarregar as energias é uma prática saudável em todos os sentidos!

Se você quer ser mais produtivo, ter um momento de descanso é um ato não só de inteligência e necessidade fisiológica, mas também de autoamor. É comprovado que descansar, espairecer e ter uma boa noite de sono é essencial para o funcionamento da nossa mente, corpo, alma e emoções. A falta de descanso pode reduzir nossa capacidade mental, comprometendo a memória, o aprendizado, a concentração e a própria produtividade.

O bem-estar geral também fica comprometido, gerando ansiedade, estresse, depressão, uma vez que a falta de sono, por exemplo, afeta a produção de diversos hormônios, como a testosterona, o cortisol (hormônio do estresse) e algumas endorfinas. Além disso, pode trazer diversos problemas de saúde, baixando o sistema imune e assim, deixando-nos mais vulneráveis a doenças.

Por isso, pratique esse autocuidado sempre que possível. Cure essas feridas emocionais da infância que falamos, mas também ouça o seu corpo, ele sabe a hora de parar.

E se você ainda sente aquela culpa em descansar, aqui vão algumas dicas de como tirar o maior proveito desses momentos para que você recarregue a sua bateria de forma mais rápida e eficaz.

1. Conheça a si mesmo

Antes de colocar qualquer uma das próximas dicas em prática, conheça a si mesmo. Conheça o funcionamento do seu corpo, seus limites, aquilo que o tira do sério e o que desgasta mais a sua energia.

Saiba quais as coisas que recarregam sua energia nos 4 níveis: mental, emocional, físico e espiritual. Muitas vezes achamos que se largar no sofá é a melhor solução para o cansaço que sentimos, mas, no fundo, isso vai recuperar mais a sua energia física – e se o seu desgaste for mental, você pode ficar horas e horas deitado, mas remoendo os problemas que tiraram a sua energia mental, e nunca se sentirá recuperado.

Portanto, entenda: qual o tipo de energia você precisa repor? Quais são as atividades que repõem esse tipo específico de energia? Então, coloque-as em prática!

2. Faça atividades físicas

Aquele velho clichê, não é?! Mas muito importante!

Isso porque durante o exercício físico podemos até gastar energia física, mas com ele muitas vezes renovamos energia mental e emocional ao liberar endorfinas que trazem sensação de bem-estar e diminuir o fluxo de pensamentos, mudar o foco para si mesmo e algo que lhe faz bem.

3. Invista em seu lazer!

Descansar não necessariamente é ficar parado. Inclusive, existem estudos que comprovam que o “lazer passivo” como ficar em frente à TV ou navegando nas redes sociais “sem pensar em nada” só são eficazes por mais ou menos 30 minutos. Depois desse tempo, ele começa a drenar nossa energia sem nem mesmo percebermos, gerando um sentimento de apatia e falta de interesse e motivação, dando ainda mais vontade de se afundar no sofá.

Portanto, invista em descobrir atividades de “lazer ativo” que o façam bem e renovem de verdade a sua energia. Não precisa ser uma grande viagem ou algo que precise de um grande planejamento. Sair com os amigos, ter hobbies, jogos podem ser muito estimulantes e fáceis de se conseguir. Use a criatividade!

Por fim, cuide-se! Para ser mais produtivo, cuide da máquina perfeita que é o seu corpo. Cuide das suas emoções, pensamentos. Perdoe-se, ame-se e cure os padrões inconsciente que você não precisa mais sustentar.

Pequenos atos podem transformar a sua realidade. E você verá quão libertador e gratificante pode ser!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.