Se você dá maior intensidade ao seu futuro ou passado do que ao agora, você está sobrevivendo



Viver ou sobreviver? Se agora estamos aqui, por que é que o nosso foco não está?

Hoje, para todos a vida é corrida, a rotina é intensa, as preocupações preenchem todos os “espaços” de nossa mente até que conseguimos esquecer de nós mesmos, conseguimos focar apenas no dia de amanhã, ou remoer os acontecimentos do “ontem”. Mas se agora estamos aqui, por que é que o nosso foco não está?

Por que é que nossos pensamentos divagam sobre o que já aconteceu ou o que ainda está por vir?

O nosso cérebro armazena informações de duas maneiras: por um forte impacto emocional e/ou por repetição.

O forte impacto emocional: muitas vezes não conseguimos controlar os acontecimentos, eles simplesmente se sucedem, então precisamos aprender a lidar com eles, já com a repetição, isso nós podemos comandar, mas o que seria essa repetição? Seria o “exercício” que aplicamos ao cérebro, fazendo-o mudar a rota dos pensamentos e/ou ações.

Por exemplo: você tem medo de algo e fica alimentando esse tipo de pensamento; quando vê está cada vez mais imerso no medo, e o maior problema foi a intensidade que deu a ele, ele por si só não cresceu, você o aumentou.



Mas o que isso tem a ver com viver ou sobreviver?

A resposta é simples, se você está dando maior intensidade ao FUTURO ou ao PASSADO, do que ao AGORA, então você está simplesmente SOBREVIVENDO, você não está conseguindo aproveitar o momento, você não se satisfaz mais com nada, você fica intenso e nervoso sempre, e isso lhe trará sérios problemas, portanto se você tem se sentido assim ultimamente (cansado, deprimido, triste, sem razão para viver).

Sugiro que PARE AGORA, faça uma introspecção e mude JÁ a rota dos seus pensamentos.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: loganban / 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.