ColunistasComportamento

Se você dança com o diabo, não reclame por estar no inferno!

SE VOCÊ DANÇA COM O DIABO capa e dentro

Fazemos sempre as mesmas coisas, do mesmo jeito e mesmo quando os resultados são insatisfatórios, apenas reclamamos e nada fazemos para mudar. Todos querem ser bem-sucedidos, ter um amor de novelas, um corpo escultural e muito dinheiro na conta.



O problema é que, a menos que você seja um privilegiado e tenha nascido em berço de ouro, para toda conquista, será necessário sempre, muito sacrifício e trabalho duro, e para isso nem todos estão dispostos.

Tudo na vida tem um preço, e a cada escolha, uma renúncia.

Eu aprendi e vivi o significado dessas palavras na pele, na alma e no coração.


Então não inveje quem tem o que você gostaria de ter, você não conhece os caminhos que eles percorreram para chegar aonde estão.

Não se compare a ninguém, não se sinta injustiçado, porque você não é.

Não se esqueça que você, a sua vida, são resultados das escolhas que você fez até aqui

O sol nasce para todos, as oportunidades estão por aí, esperando quem tem coragem, quem tem vontade, quem escolheu não ser vítima das circunstâncias e decidiu ir além.


Fácil não é, e nem nunca vai ser. Mas pra gente como nós, que já nascemos lutando, essa é a realidade.

Ou você faz a diferença e toma as rédeas da sua vida, indo na direção dos seus sonhos, ou se contente com o que vier, e aí por favor não reclame.

Se não plantar, você não vai colher, então não culpe a vida, não culpe o destino pelas consequências de suas ações.

Às vezes a gente desanima, e isso é normal, mas nossa única opção é lutar, levantar rápido e sacudir a poeira toda vez que a vida nos derrubar.


Eu sei que você deve estar pensando que para algumas pessoas as coisas são mais fáceis do que para outras, e eu te digo, esqueça os outros e faça algo por você, a vida alheia não é da sua conta.

Enquanto escrevo esse texto, confortavelmente sentada na minha mesa do escritório, apreciando uma das melhores vistas de Londres, eu agradeço e nunca me esqueço de quantos banheiros eu limpei, quantos pratos eu lavei para chegar até aqui. Ninguém viu a minha luta, mas todos querem falar sobre as minhas vitórias.

A minha batalha ainda não acabou, e sei que a sua também não, então força, foco e fé em Deus, porque ele é justo.

Ah e não se esqueça, se as coisas não estiverem bem, só você pode mudar.


Individualidade versus individualismo: sobre os homens pudins e as mulheres gelatina…

Artigo Anterior

Quem é Deus na fila do pão?

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.