3min. de leitura

“Se você tem que disparar a flecha da verdade, primeiro adoce a sua ponta no mel”

Queridos leitores, este é um antigo provérbio chinês e vou usá-lo para demonstrar o quanto é importante refletirmos, antes de expormos as verdades que guardamos em nós.


Muitos de nós, no decorrer de toda uma vida, presenciamos atitudes e comportamentos de nossos semelhantes tão incompatíveis com o bem viver, com aquilo que temos como nossas verdades e que nos sentimos tentados a nos manifestar positivamente, com a intenção de corrigir e ajudar.

A boa intenção é sempre válida, porém é preciso que avaliemos se a pessoa que queremos ajudar está preparada para reconhecer e aceitar esta verdade, para que em vez de atingirmos o objetivo de ajudar, não criemos um problema ainda maior para o  outro e para nós mesmos, afinal, cada ser humano é um universo repleto de suas próprias verdades.

Mesmo quando temos a certeza de que será benéfica a nossa intervenção, é preciso cuidar sobre como faremos isso, sem causar impactos danosos e desnecessários.


É onde adoçamos a ponta da flecha da verdade com mel, como diz o provérbio.

Nossa manifestação verbal é impregnada de nossa energia pessoal, nossos pensamentos, emoções e sentimentos e isso faz toda a diferença.

Quando precisamos atingir alvos delicados nas vidas de outras pessoas, temos de ser precisos como o melhor arqueiro olímpico e acertar na mosca, logo no primeiro lançamento, ou corremos o risco de não termos uma segunda chance.

Precisamos primeiramente estar bem, a partir de nós mesmos, para, então, impregnar o melhor de nós, de nossas verdades e ter sucesso ao ajudar nossos semelhantes.


É bom saber também que se o momento não é propício, porque você mesmo ou outro não está preparado, então vale o ensinamento espiritualizado que diz: “Sou aquele que fala e cala quando deve…”

A sabedoria da vida ensina que falar é prata e ouvir é ouro, portanto valorize sempre o momento de ouvir o outro antes de falar, suas motivações, seu ângulo de visão da situação que o envolve e suas posições pessoais, sua história.

Como reflexão cito também um antigo ditado árabe que diz: “Somos senhores das palavras não faladas e escravos daquelas que nos escapam pela boca.”

Que suas palavras sejam sempre motivo de grandes alegrias para vocês mesmos e para os seus semelhantes.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.