4min. de leitura

Seja grato a tudo e a todos e liberte-se do sofrimento!

Como ser grato a alguém que nos desrespeitou, nos prejudicou, nos machucou, nos fez sofrer e chorar? É difícil, mas não é impossível.


O místico Atisha, budista tibetano do século XI, ensina que devemos ser gratos a todos na mesma medida; tanto aos que acreditamos nos proporcionar momentos felizes, quanto aos que parecem inimigos, trazendo-nos dor e tristeza.

Todas as pessoas que passam por nossa vida, sem exceção, estão exercendo um papel importante em nossa evolução e vice-versa. 

É fácil sermos gratos pelo o que recebemos e consideramos bom, mas o desafio está em sentir gratidão nos momentos de sofrimento e dor.

Primeiramente, é importante entender que ninguém tem o poder de nos trazer o bem ou o mal. É a nossa reação com relação ao que acontece que gera emoções e, consequentemente, sensações de bem-estar e mal-estar.


Nós criamos o nosso céu e o nosso inferno. Compreender isso pode ser um alívio. Se assumirmos a responsabilidade pelos nossos sentimentos, teremos a possibilidade de transformá-los sem culparmos as pessoas, as situações e a vida. Está em nossas mãos.

Sim, as nossas reações e emoções parecem ser mais fortes do que nós. Elas emergem e se manifestam rapidamente e, muitas vezes, nós nos sentimos impotentes diante de uma avalanche emocional. É um exercício contínuo de observação. Esteja alerta e observe esse processo.

Enquanto nos sentirmos atingidos e atacados e acreditarmos que o mundo está contra nós, acumularemos sofrimento, fecharemos o coração e endurecemos por dentro e por fora.


Tente agradecer internamente às pessoas e situações, por mais que pareçam negativas, desfavoráveis e difíceis. Experimente. Nós podemos transformar todo o sofrimento que carregamos desnecessariamente.

Simplesmente agradeça, silenciosamente, e veja a raiva transformar-se em compaixão, a dor em amor e o inconformismo em aceitação e entendimento. 

É difícil sermos gratos pelo que rejeitamos e tememos. Como ser grato aos problemas, às guerras, doenças, violências e à morte? Parece absurdo!

Mas, por mais que seja difícil entender, a gratidão por absolutamente tudo o que acontece em nossas vidas nos liberta. A gratidão é a aceitação amorosa do que é, do aqui e agora, da realidade.

Quando gostamos do que vivemos, ela brota naturalmente e perfuma os nossos dias, e quando não gostamos, precisamos buscá-la. O caminho é agradecer. Então, não entenda, apenas agradeça.

Quando abraçamos com humildade o lado da vida que julgamos ser escuro e que tentamos excluir, integramos o “bem e o mal” e o “bom e o ruim”. Com essa integração, as dualidades se dissolvem e tudo passa a fazer parte do TODO, o que gostamos e o que não gostamos, o que nos faz sorrir e o que nos faz chorar.

Afinal, o caminho da evolução tem trechos floridos e áridos, tem descidas suaves e subidas íngremes, tem atalhos largos e outros bastante estreitos e perigosos, tem dias de sol e céu azul e dias de nuvens negras, relâmpagos e trovões, tem dias de brisa suave e dias de tufões.

Nem tudo é fácil e nos dá prazer, mas tudo faz parte da vida e se formos gratos a tudo e a todos, tornamos o caminho mais leve e entendemos que tudo nos fortalece e nos ajuda a crescer. 


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: artsyobjects / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.