Seja você em todos os momentos da sua única vida!



Você pode estar insistindo em relações que não fazem sentido, em trabalhos que não fazem sentido, em hábitos que não fazem sentido, em uma vida que não lhe faz sentido!  Por que?  Porque você pode estar insistindo em ser quem você não é!

Todos os dias levantamos da cama já pensando nos vários desafios que enfrentaremos durante o dia.  Mal acordamos e nossos pensamentos já estão a todo vapor.

Somos conscientes do fato de termos uma única vida, mas insistimos em dividi-la em vida pessoal, vida profissional, vida social e tantas outras vidas que fazemos questão de fazer presentes, ignorando, muitas vezes, a existência da única vida real.

Algumas pessoas são tão diferentes em cada uma dessas “vidas” que, quando alguém, por acaso, cruza seu caminho numa “vida” diferente, nem a reconhece.  Claro que existem situações ou ambientes que exigem posturas diferentes, mas não pessoas diferentes.

Às vezes, a pessoa está tão preocupada com os compromissos da vida profissional que se esquece de cuidar da própria saúde, como se não pudesse perder tempo fazendo um check-up ou frequentando uma academia, deixando bem claro a sua escolha por uma vida em detrimento de outra e esquecendo de vez que, na realidade, só existe uma vida!

A nossa natureza exige que desempenhemos diferentes papéis no nosso dia a dia.  Seja o papel de filho, papel de pai/mãe, de amigo, de aluno ou de professor, papel de profissional, não importa.  Na vida real somos pessoas reais vivendo papéis reais e não atores encenando papéis.

Na vida real não existem roteiro, script, ensaios ou um diretor corrigindo falhas e destacando qualidades, dando a chance de tentar mais uma vez para ver se fica melhor.

Na verdade, você é o diretor da sua vida e tem a oportunidade de corrigir falhas e destacar qualidades, se você se concentrar em, simplesmente, ser você em todos os seus papéis dessa única vida que lhe pertence. 

Isso significa permitir que a sua essência usufrua da própria vida.  Não é para você ser você apenas quando está em casa e se esforçar para manter uma aparência ou postura diferente de você no trabalho ou no meio social do qual faz parte.



Esse comportamento de negação da própria essência, com o intuito de se encaixar numa realidade, gera desconforto, insatisfação, ansiedade, infelicidade e baixa autoestima.

Pode gerar a sensação de nunca ser bom o suficiente.  E, sinto dizer, você pode estar certo! Não se sentir bom o suficiente pode ser a grande verdade da sua vida, simplesmente porque você não está sendo bom o suficiente consigo mesmo.

Você pode estar insistindo em relações que não fazem sentido… em trabalhos que não fazem sentido… em hábitos que não fazem sentido… em uma vida que não te faz sentido!  E por que?  Porque você pode estar insistindo em ser quem você não é!

Por que viver uma vida sem sentido?  Por que se esconder da própria vida?  Por que se esconder de você? Dê permissão à sua essência e seja você em todos os momentos da sua única vida!


Direitos autorais da imagem de capa:  Sonnie Hiles on Unsplash






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.