ColunistasReflexão

Sem jamais perder a ternura…

SEM JAMAIS PERDER A TERNURA

Algumas palavras simplesmente envelhecem, mais ou menos assim: o que a boca não fala, o coração não sente. E de tantas que eu lamento… Uma das minhas favoritas é a palavra ternura, eternizada na frase de Che Guevara: “Há que endurecer-se, mas sem jamais perder a ternura”.



Pero… Estamos perdendo a ternura. Especialmente entre os jovens. Eu tenho filhos adolescentes, trabalho com jovens universitários, não me lembro qual foi a última vez que ouvi alguém dizer a palavra, ternura. Além de não falar… Poucos sabem o sentido da palavra. Até quem sabe, às vezes não consegue traduzi-la. Talvez, simplesmente, por não sentir mais ternura.

Eu sinto, sinto muita ternura. E mesmo assim, dia desses tentei explicar o que estava sentido, e veja você, pude descrever o sentimento, mas não sabia traduzi-lo em palavra. Até que, falei bem alto: TERNURA. É isso o que eu sinto.

E ainda dizem que sentimentos a gente não explica. Explicar ternura é fácil. Ela não é quente e desastrosa como a paixão, arrebatadora como amor e não requer um relacionamento, muito menos um parentesco.


Ela é mansa, preenche o coração e deixa uma sensação boa na alma, as vezes uma, ou mais, lágrimas caem num momento de ternura, mas ela não permite sofrimento, nem tão pouco ansiedade. A ternura se apresenta em momentos inusitados, até mesmo rotineiros. Como as estrelas cadentes. Como um piscar de olhos. Instantâneos e espontâneos.

Por exemplo, você sai na rua, olha um menino de chinelos, numa bicicleta velha, sorrindo e de peito aberto contra o vento. Isso pode despertar ternura. Você pensa na infância, na pureza, na liberdade… E uma pequena onda, toma conta de você, um sentimento bom que você não desejou, mas, que ótimo que ele apareceu, escreva aí: Isso é ternura. Você está na fila do banco e nos braços de uma mulher estranha, um bebê dorme.

Prepare-se você pode se enternecer, de uma hora pra outra. Pensando assim, entendo perfeitamente a frase de Che Guevara, numa guerra, é impossível abrir mão da ternura. Ela pode ser o momento de compaixão, de apaziguar o coração, onde o mal, perde espaço para o bem, sem perceber, e a vida pode ser mais importante que a causa.

A ternura é muito mais poderosa do que a gente imagina. Por isso desejo do fundo do meu coração que a palavra não saia de moda, que você seja invadido por esse sentimento sereno que deixa o amor mais forte, a amizade mais linda, o dia mais feliz e torna você uma pessoa melhor no mundo e para o mundo. É isso, que seja terno!


Quem bate, esquece. Quem apanha, não!

Artigo Anterior

Meu nome é superação e minha trajetória até aqui já é um sucesso!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.