Notícias

Sem-teto espancado por personal é filmado dentro de Porsche no DF

Reprodução: Twitter
Sem teto espancado por personal e filmado dentro de Porsche no DF

Em vídeos que circulam nas redes sociais, o sem-teto Givaldo Alves de Souza, 48, aparece dentro de um Porsche, em Ceilândia (DF), e cercado por celulares gravando as cenas. O modelo pode custar mais de R$ 500 mil.

Souza ganhou notoriedade após ter sido espancado por um personal trainer em Planaltina (DF), no último dia 9.

Ele está em situação de rua desde dezembro do ano passado e foi encaminhado para uma Casa de Passagem, gerenciada pela Secretaria de Desenvolvimento Social, no dia 17.

Nas gravações, Souza está com outro homem dentro do veículo. De camiseta branca com listras, ele está no banco do motorista, e sai dirigindo. “Agora sim, ele [Souza] está de Porsche”, diz um rapaz do lado de fora. “De Planaltina para o mundo”, comenta outro.

Outros vídeos de Souza na mesma noite, com a mesma roupa, já haviam sido publicados na sexta-feira (25). As imagens mostram que ele passeou pelas ruas de Ceilândia e foi reconhecido na feira da cidade. Ganhou dos comerciantes roupas, tênis e acessórios para o novo celular.

Do hospital para a casa de passagem

O profissional de educação física Eduardo Alves, 31, flagrou a mulher dele com Souza tendo relações sexuais dentro de um carro. A mulher foi internada e recebe suporte clínico e psiquiátrico, segundo a advogada do casal.

Ao UOL, Souza disse que perdoou o personal trainer e afirmou ter medo de ser incriminado. “No hospital, senti medo do que poderiam me acusar”, contou.

A defesa do casal alega que o caso afetou toda a família e uma nota de esclarecimento assinada por Alves afirmou que, além de sofrer a violência sexual, ela sofreu outra violência ao ser acusada de traição em rede nacional.

As investigações devem esclarecer se houve ou não violência sexual. O caso está sendo oficialmente investigado como “legítima defesa de terceiros”.

No dia em que foi transferido do Hospital Regional de Planaltina, onde foi socorrido, até a Casa de Passagem, o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa, Fábio Félix, se manifestou, dizendo que a preocupação é com a proteção e o bem-estar das pessoas envolvidas.

“A ampla repercussão que o caso ganhou pode colocar pessoas que já estavam em situação de vulnerabilidade em uma situação ainda pior. A mulher por questões de saúde mental e o homem por sua situação de extrema vulnerabilidade social, que o coloca em risco de graves violências”, disse Félix, acrescentando que foi pedido à Secretaria de Desenvolvimento Social o atendimento psicossocial do homem e à defensoria, o atendimento jurídico.

0 %