Sentir ciúme não quer dizer que você ame uma pessoa, ciúme não é prova de amor

7min. de leitura

Afinal, é bom ou ruim sentirmos ciúme?

“Não gosto de tal pessoa, tenho ciúmes dela com você”. Essa é uma frase muito comum e não é de hoje. Muitas pessoas se sentem ameaçadas quando alguém “aparentemente” mais “forte” chega mais perto do que é seu. Aliás, esse é um ponto muito interessante e é a partir daí que eu vou tentar responder à pergunta acima.



Somos seres livres e únicos, aliás, deveríamos ser. Nós nos colocamos em relacionamentos não para dividirmos o que temos de melhor, mas, muitas vezes, para guardar aquela pessoa amada na caixinha. Temos o pensamento de que precisamos da “metade da nossa laranja”, mas é o contrário, devemos ser a laranja inteira e ter uma pessoa ao nosso lado para o suco ficar mais concentrado e transbordar o copo.

O que estou querendo dizer é que nessa ânsia de buscarmos alguém para nos completar, acabamos sem saber viver, ou achamos que não podemos viver sem a pessoa que escolhemos te, o que nos leva a achar que a mesma faz parte do nosso corpo e a tomamos como propriedade. Usamos adjetivos como “meu”, “minha”, mas não somos de ninguém e esse discurso não é sobre relacionamentos não-monogâmicos, é sobre posse.

Na minha luta diária pela desconstrução do amor romântico, deparo-me com lembranças do passado nada boas, por sinal. O amor romantizado nos leva a esquecermos de nós mesmos e viver à mercê de alguém, parecemos sanguessugas que necessitam de atenção o tempo todo. Não é para menos, nós nos tornamos as pessoas que brincam com os sentimentos alheios como se fossem bolas de pingue-pongue.


Mas sabe o que é pior nisso tudo? É esquecer que você existe além do seu parceiro e parceira.

Eu tenho uma visão bem clara sobre o ciúme, ele serve para tapar uma necessidade nossa. Posso arriscar dizer que ele é uma extensão da falta de amor-próprio e baixa autoestima; quando esquecemos que somos suficientes, colocamos alguém para alimentar isso em nós; lembra da metade da laranja? Então!

Pare agora e pense o motivo de você sentir ciúme de alguém.

Essa pessoa não passa confiança?

Mas na sua visão, o que é passar confiança?


Essa pessoa provoca ciúme?

Talvez seja uma pessoa insegura o bastante para entender que o fato dela alimentar uma insegurança em alguém, a faz mais insegura ainda sobre si mesma.

Essa pessoa te traiu uma vez?

Se a pessoa o traiu, e você resolveu continuar o relacionamento, porque alimentar o erro que foi cometido uma vez? Se acha que ela repetirá o erro, é melhor não continuar, vai por mim, você não merece viver sua vida toda com desconfiança. Isso lhe faz mal.

Você sente ciúme porque outras pessoas interagem com seu relacionamento?

Precisamos trabalhar o amor-próprio. A confiança deve vir de nós mesmos. O seu relacionamento precisa estar sólido. Ambos precisam conversar muito bem sobre o porquê de estarem juntos. A partir daí, o fato de outras pessoas quererem abalá-los de alguma forma não será páreo para o que vocês têm construído juntos.

É complicado falarmos de ciúmes, mas a minha visão sobre ele é essa. Somos humanos, sim. Sentimos ciúmes? Claro, ele faz parte de qualquer sentimento nosso, principalmente do ego.

Sentir ciúme de alguém não necessariamente quer dizer que você ame uma pessoa, ciúme não é prova de amor. Ciúmes é prova de falta de amor, é prova de ego ferido, é prova de que agimos muitas vezes como crianças quando o doce não é dado só porque pedimos.

Se conseguirmos nos amar mais, tenho certeza, que nenhum ego ferido terá forças num relacionamento sólido!

Sobre “passar confiança”.

Acho interessante falarmos sobre isso depois que você pensou sobre o assunto enquanto estava lendo. Precisamos tomar cuidado com o “passar confiança”, pois pode se tornar uma prisão e até mesmo um relacionamento abusivo.

Passar confiança a alguém não é o seu namorado(a) não ter amigas no Facebook, ou mandar foto de onde está, nem não conversar com ninguém no Whatsapp. Isso é controle, que gera a insegurança e alimenta do ego, gerando as brigas.

Veja o ciclo: insegurança > controle > ego > brigas

A confiança deve vir de você! O sentir-se seguro(a) deve partir de si (lembra do amor-próprio? Pois bem!). A partir do momento em que você confia no seu taco, ninguém é bom o suficiente para o abalar.

O ciúme (ego) destrói relações. O ciúme, juntamente com o machismo, infelizmente, mata! E para evitarmos cenas que infelizmente estão se tornando comuns, precisamos trabalhar isso em nós mesmos .

E, se você vive um relacionamento que não tem liberdade nem de olhar para o lado, ter amigos, sair com a família ou trabalhar, procure ajuda.

Um relacionamento deve ser sinônimo de felicidade, liberdade e amor e não de sofrimento, desconfiança e brigas.

É difícil, eu sei. Desconstruir a ideia de que não somos posse, de que somos seres únicos e especiais pra caramba, entender que somos especiais demais para darmos murro em ponta de faca, leva tempo! Mas a gente consegue.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: deagreez / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

* Matéria atualizada em 28/08/2018 às 6:58






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.