4min. de leitura

SEPARAÇÃO TAMBÉM É CONSTRUÇÃO!

Eu vivo repetindo – porque acredito piamente nisso – que amor é construção. Seja esse amor vivenciado num casamento ou em qualquer tipo de relacionamento, é sempre uma construção. Não nasce pronto. Não está posto apenas com algum “sim” de ambas as partes.


Eu sei que tem gente que acredita em “amor à primeira vista”. Eu não acredito! Penso que pode até acontecer paixão ou desejo e até uma grande identificação à primeira vista. Mas amor, amor mesmo, não. É construção. E uma construção exige alguns pré-requisitos.

Tempo, planejamento, dedicação, confiança, coerência e outros comportamentos afins. Claro, tem também os contratempos. Nem tudo sai exatamente como planejado. Situações inesperadas acontecem. Mas a construção do amor, especialmente, nunca acaba. Precisa ser para sempre!

Relationship breakdown. Depressed young man holding hand on head and looking away while woman sitting behind him on the couch


Porque se parar, começa lentamente (ou rapidamente) a se tornar desconstrução. Ou seja, começa a se transformar em separação. É mais ou menos como fazer o caminho contrário! Falta de tempo, de planejamento, pouca ou nenhuma dedicação, desconfiança, incoerência e por aí vai.

Uma dose de abandono aqui, uma desatenção ali e, pronto: dá-se início à uma triste e perigosa desconexão. Mas sabe o que é pior? Tudo isso costuma acontecer de um jeito quase imperceptível. Parece apenas rotina. Parece simplesmente uma fase. Parece que não é nada tão grave.

Talvez seja mesmo um pouco de cada. Mas de pouco em pouco, se faz muito. E no muito de descuido, só cabe desamor. Desconstrução. Separação! Vazio, tristeza e frustração.


Porque é fato: ninguém se separa da noite para o dia. Ninguém dorme conectado, feliz e atento e acorda desconectado, insatisfeito e desejando ir embora. Assim como amor precisa ser nutrido pra existir, desamor também. Um divórcio é uma escolha feita por muitos dias seguidos.

Então, que tal focar no que realmente importa? Que tal cuidar do que é caro? Que tal se questionar agora sobre o que você realmente quer, antes que seu único desejo seja distância. Antes que reste apenas um gosto amargo do amor que já sentiram um dia?

Veja bem, não estou dizendo que uma separação seja sempre e necessariamente um grande desastre. Às vezes, pode ser mesmo que o encontro já não faça sentido. Mas, se é mesmo assim, então que a desconstrução seja feita com cuidado e respeito, com consciência e muito diálogo. Porque ainda que a dor possa ser inevitável, sentimentos como rancor e ódio podem ser, sim, bastante evitáveis!

separacao2

Por fim, que a gente consiga não desistir. Não deixar sempre para amanhã o que precisa ser cuidado hoje. Que a gente não se renda aos desafios decorrentes dos nossos piores medos. Porque se existe um encontro que pode nos tornar pessoas melhores e mais evoluídas de fato, é o encontro com uma alma com quem escolhemos compartilhar nossa história e nosso coração!





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.