“Ser feliz é condição de quem faz o outro feliz!”



“Ser feliz é condição de quem faz o outro feliz”. Costumava ouvir essa frase de um querido palestrante espírita, e sempre refleti sobre ela, o que me levou a pesquisar sobre um monge budista, Matthieu Ricard, que carrega o título do “homem mais feliz do mundo”. Ele acredita que um dos jeitos de ser feliz é fazer o outro feliz, pois todo esforço para despertar a felicidade que há dentro de nós é em vão se não for compartilhado.

Hoje em dia parece que se tornou obrigatório ser feliz, acima de tudo e apesar de tudo, como se os fins para chegar nessa condição  justificassem os meios. É como se estivéssemos em um “vale tudo” para conquistar a tão almejada felicidade. Talvez por isso, às vezes, não percebemos de que o segredo para alcançar verdadeiramente essa condição é apenas um: Sermos bons.

O importante não é ser feliz, o importante é ser bom, ser gentil, ter compaixão.

Felicidade é consequência dessa prática. Devemos ser bons primeiro para nós mesmos, praticando o otimismo, a meditação, seguindo nossa intuição, por exemplo, e realizando objetivos através dos nossos dons, para conseguirmos, em conjunto, sermos bons para os outros.

O medo da tristeza se tornou tão aterrorizante que nos esquecemos de que ela é natural e essencial para lapidar o diamante bruto que somos. Portanto, com exceção das síndromes de ansiedade e depressão, não devemos temer a tristeza, devemos temer a maldade!



É realmente difícil e desanimador ser bom e honesto em um mundo que parece pertencer aos “espertos”. Se necessário, afaste-se daqueles que semeiam o mal, porém não se afaste do bem que há dentro de ti. Apenas a bondade desperta a paz e a felicidade de poder dormir com a consciência tranquila.

“Um dos jeitos de ser feliz é fazer o outro feliz…”

O seu sorriso pode alegrar tantas vidas, mesmo que só por um momento. Suas palavras serenas podem ser capazes de tranquilizar quem está à beira de um abismo. Sua gentileza pode despertar a felicidade naqueles que se sentirão importantes por receberem de ti esses simples gestos.

Parece que já estamos tão acostumados a ler que o universo devolve o que enviamos e que os outros refletem o que somos que nos esquecemos de revelar e praticar tudo que há de melhor em nós. Chega de correr atrás de uma felicidade falsa para preencher momentaneamente nossos vazios! Apenas semeando e compartilhando o bem seremos preenchidos constantemente.






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.