Ser mãe é ser amiga, paciente, companheira e sua melhor confidente

Ser mãe é enfrentar qualquer coisa para a felicidade do(a) filho(a), é arrancar sorrisos em meio às lágrimas e, se for preciso, fazer cócegas e fazer sorrir, nem que seja na marra!

Ser mãe é ser mulher de ferro, é deixar as próprias dores para curar as feridas de seus filhos.

Ser mãe é mais do que carregar seu filho durante nove meses em seu ventre, é contar os dias e as horas nos dedos para ver seu lindo rostinho pela primeira vez, é conversar com ele(a) todos os dias, mesmo ainda na barriga.

Ser mãe é encher os olhos de lágrimas e, ao mesmo tempo, sentir a emoção nascer forte de dentro de você ao ter pela primeira vez seu filho(a) nos braços.

Ser mãe é contar histórias antes de dormir, é acordar no meio da noite com um pedido de socorro: “Estou com medo, tive um pesadelo, dorme comigo?”

Ser mãe é levar para a escola quando criança, é mais do que ajudar na lição de casa, ser mãe é brincar, dar broncas, educar, é ser sábia, é mostrar que o mundo não é nenhum mar de rosas, mas que devemos saber mergulhar nele com cuidado e atenção e não se deixar afligir diante das tempestades.

Ser mãe é acompanhar o crescimento do filho e esperar ele chegar em casa. Ah, aí vem mais uma preocupação: “quando os filhos crescem e querem sair sozinhos”, concordam?

Ser mãe é ser mãe por toda a vida, não importa a idade!

E a dádiva de ter uma mãe, é saber que quando tudo der errado, sua mãe estará ali sempre para te receber, é seu porto seguro, seu aconchego, sua melhor confidente, o melhor colo é o da mãe da gente, e ninguém nos ama mais do que ela. O abraço de uma mãe vale mais do que tudo nessa vida, o amor de uma mãe é incondicional, infinito como as estrelas, e nunca morre. Toda mãe tem sexto sentido, e não falha!  Elas sempre sabem o que está se passando em nossos coraçõezinhos, não é mesmo?

Mãe é mãe! Elas nos entendem com apenas um olhar, sem dizermos uma só palavra, elas sabem quando estamos bem ou mal.

Às vezes querem saber algo, que nem você ainda sabe. Por exemplo: “Eu conheço essa carinha, o que houve?” – “Nada, mãe!”­ ­­­

Elas insistem e às vezes não é nada mesmo, mas elas conhecem o nosso “íntimo” mais do que a nós mesmos.

Feliz dia do abraço apertado e do ombro amigo. Feliz dia do “tira o pé do chão que está trovejando!”. “Não durma tarde!” “Ligue quando chegar.” “Por que tem celular, se não atende?!” Ah, porque dia das mães são todos os dias!

Parabéns a todas as mães que reconhecem quando estamos bem ou mal, sem precisarmos dizer uma só palavra, pois basta apenas um olhar e elas já enxergam as nossas alegrias e tristezas.

Obrigada por serem nossas amigas, conselheiras confidentes… eternas!

Uma a homenagem a todas as mães e um feliz dia das mães a todas vocês!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.



Deixe seu comentário