4min. de leitura

Ser mãe, sem culpa

“Se eu pudesse aliviar o mundo de um sofrimento, seria o de remover as culpas indevidas que a maioria das mulheres carrega dentro de si, na função de mãe”. – Içami Tiba

Sou grande admiradora do escritor e psiquiatra Içami Tiba. Com ele aprendi e, embora já não se encontre mais nesse mundo, ainda aprendo muito através de suas obras.



Tenho em mente uma frase que marca a minha trajetória na maternidade: “Se eu pudesse aliviar o mundo de um sofrimento, seria o de remover as culpas indevidas que a maioria das mulheres carrega dentro de si, na função de mãe”.

Culpa parece vir junto com a maternidade. Mãe sente culpa por tudo, além dessa pressão interna, ainda acumula uma pressão da sociedade que aponta mil dedos para ela. É claro que as responsabilidades imputadas pela maternidade não são poucas, entretanto, melhor é sempre dirigir nossas energias a dar o melhor de nós, procurando ser e fazer cada vez melhor.

No meu canal tem um vídeo sobre a culpa materna: Como lidar com a culpa materna.

<center> <iframe width=”748″ height=”424″ src=”https://www.youtube.com/embed/yCkCmCV_Dh0″ frameborder=”0″ allow=”accelerometer; autoplay; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture” allowfullscreen></iframe></center>


Ao final de uma palestra sobre comunicação entre pais e filhos, uma mulher me procurou. Disse que é professora e exerce a função em três períodos. Com uma filha de 3 anos, trabalha muito para lhe propiciar o melhor. No entanto, estava se sentindo muito triste porque há algum tempo percebia dificuldades na relação com a filha. Disse que, diante do que ouviu naquela palestra, entendeu que a filha havia estabelecido uma comunicação de confiança com a babá, que era quem passava mais tempo com ela. Quero deixar bem claro que a conclusão foi dela, não é meu papel concluir nada para ninguém, até porque cada caso é um caso e, como dizia a minha avó, “cada cabeça uma sentença”.  Escutei-a com muita atenção e, em seguida, lancei-lhe a reflexão: “O que você pode fazer quanto a isso?”

Depois de algum tempo recebi uma mensagem daquela mãe muito satisfeita com a decisão que tomou: deixou de trabalhar no período noturno, não tinha mais dinheiro para a babá em tempo integral, mas estava se sentindo muito próxima da filha.

Içami Tiba alerta que os filhos não precisam o tempo todo da mãe, se assim parecer já há algo que não está funcionando bem.

A qualidade de tempo dispensada aos filhos é sempre muito mais funcional. Portanto, culpa por trabalhar fora tem mais a ver com pressões culturais. O ideal é que se chegue a um bom termo, onde o tempo juntos é bem gerenciado e o relacionamento entre mãe e filho(s) flua de forma harmoniosa.


Cobranças sempre existirão, o importante é que cada uma de nós, mães, procuremos encontrar a melhor forma de sentir que estamos fazendo o certo, mesmo que, muitas vezes, isso seja algo bem vago. Buscar refletir sobre como estamos nos relacionando com os nossos filhos é uma boa régua para medir nosso desempenho.

Que possamos refletir sobre a relevância de ser mãe, sem culpa. 

Feliz dia das Mães!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo:123RF/fizkes

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.