“Ser perfeito” e “à prova de balas” são conceitos sedutores, mas não existem na realidade humana.”



Complexo de Super-Homem: “Ser perfeito” e “à prova de balas” são conceitos bastante sedutores, mas que não existem na realidade humana.” 

Saber reconhecer e lidar com o desnível entre emoção e intelecto é um desafio que eu lhe faço neste momento.

Existe uma voz inteligente que o sabota e ela vem em sua mente quando está prestes a realizar seus objetivos, ela consegue atingi-lo tocando exatamente em pontos que já estão emocionalmente abalados, da mesma forma que alguns sintomas de doença atingem seu corpo quando a imunidade está baixa. (Emocional abalado).

Com a autoestima instável surgem alguns sintomas da ação destrutiva dessa voz/pensamento sabotador que consegue paralisar sua vida em todos os aspectos, caso não tome consciência do fato. O sinal de alerta é acionado quando o medo da reprovação o faz comportar-se como se fosse melhor que os outros ou o que é pior, faz você se sentir tão inferior, que perde até o sentido de viver, a desmotivação no trabalho se torna tão grande que não executa as tarefas com comprometimento e tudo é feito com desleixo, não se sente reconhecido e isso o torna limitado e sem expectativas positivas.

No relacionamento conjugal, as cobranças de si mesmo e a autoperfeição confundem os sentimentos e criam uma eterna polaridade em todos os pilares da sua existência.

A voz da consciência que o faz transbordar em seus resultados sai de cena enquanto a reestruturação emocional não acontece e, vencer essa etapa nebulosa exige uma condução lógica e cognitiva, capaz de identificar quem é você e quem é a voz cruel, que teima em desequilibrar sua emoção, que diz em todo o tempo que você não é capaz, que não merece, que não é quem acredita ser e por aí vai. A voz que literalmente quer vencê-lo e acabar com seus sonhos.

Aceitar nossa vulnerabilidade nos fortalece e ousamos mais quando admitimos todos os nossos medos, mas como não fomos treinados para isso, perdemos a noção de o quanto é perigoso estar sempre sob o controle de todas as coisas, ser forte e nunca fraquejar.



Diante da pressão constante é comum se submeter ao conformismo de viver fingindo que tudo está bem, até que a tolerância psicológica é rompida e desencadeiam-se crises depressivas e afins.

Acredite que o crédito das conquistas será sempre de quem está por inteiro na vida, carregando suas marcas, reconhecendo seus limites, vivendo as suas verdades, aprendendo sempre com os erros e resignificando seus resultados, porque sabe que pode mais, que pode muito mais!

“Que se entrega a uma causa digna; que, na melhor das hipóteses, conhece no final o triunfo da grande conquista e que, na pior, se fracassar, ao menos fracassa ousando grandemente.”

Trecho do discurso “Cidadania em uma República” (ou “O Homem na Arena”), proferido na Sorbonne por Theodore Roosevelt, em 23 de abril de 1910.







Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.