AtitudeMensagem de Reflexão

Sim! tenho o direito de…

chico

Tenho o direito de usufruir da felicidade, mas isso não valida minha atitude de descaso para com a tristeza do outro.



Tenho o direito de conferir minhas verdades, mas não posso duvidar da verdade do outro. Posso opinar, escolher, repetir trajetos, mas não tenho o direito de decidir sobre o caminho dos amigos.

Tenho o direito de consumir ternuras, mas se o outro amargura não é meu legado promover sua cura. Usufruo da condição de andar pacificamente, mas não é legítimo interferir nas relações conflituosas de quem assim decide viver.

Tenho o direito de fazer minhas invencionices sobre os sentimentos, mas não convém duvidar do afeto do outro.


Tenho o direito de vivenciar a liberdade, sem com isso aprisionar o outro. Disponho de minhas estratégias de sobrevivências, mas preciso respeitar as escolhas estranhas do próximo.

Tenho o direito de desfazer um combinado, usando de sinceridade, mas não preciso ser desleal.

Tenho o direito de angariar simpatia, mas não posso representar um sentimento que não possuo. Tenho o direito de ser mandatária do meu destino, mas não posso obrigar alguém a fazer minhas escolhas em nome de sentimentos recíprocos.

Tenho as rédeas de minha vida e da história do outro, só posso ser coadjuvante se ele assim o permitir.


Tenho o direito da comoção, sem querer ser guardiã da humanidade.

Tenho o direito de escolher minhas crenças sem impor religiosidade aos outros.

Posso discordar, mas não guerrear…
Posso mudar, mas não exigir isso do outro.


Posso privilegiar-me da espiritualidade, sem precisar alardear o mundo.
Posso renunciar, sem o prejuízo da renúncia onerar o outro.

É justo o meu sonho, sem contudo desmerecer o sonho do outro.
Posso não saber toda verdade, sem me apropriar das dúvidas que não me pertencem.


Devo amar, sem esperar que a troca seja obrigatória.

Ita Portugal
Respeitar o outro…suas escolhas, seu olhar, seus sentimentos…
Não precisamos “aceitar” nada!


Respeito já está de bom tamanho! hã?
Via: Blog Passarinhos no Telhado.

Há pessoas que se apaixonam pela experiência que a paixão proporciona…

Artigo Anterior

O psicopata – um ”ser” com várias facetas na sociedade:

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.