5min. de leitura

SÍNDROME DO NINHO VAZIO

A chamada síndrome do ninho vazio é uma condição caracterizada pelo surgimento de um quadro depressivo por parte dos pais (afetando geralmente a mãe) após a saída dos filhos de casa, a partir do momento em que eles se tornam independentes, partindo para outra moradia.


É natural em algum momento da vida os filhos saírem de casa, seja porque vão se casar, ou porque vão cursar a universidade em outra cidade ou país, etc. Isso deveria ser comemorado pela família, mas nem sempre isso acontece. Muitas vezes isso se torna um pesadelo.

Por não conseguir lidar com a nova situação, o sentimento de saudade acaba ganhando proporções prejudiciais à vida de quem fica.  A falta do filho pode virar depressão, crises de ansiedade, angústia ou o surgimento de problemas psicossomáticos que antes não existiam. A emoção pode ser transformada em dor, muitas vezes, dor física.

SINDROME DO NINHO VAZIO FOTO 01


É uma fase complicada principalmente para as mulheres que passaram toda a sua vida dedicando-se exclusivamente aos filhos, quando eles vão embora, elas perdem o chão, sentem um vazio, uma perda de si mesma. Muitas relatam sensação de inutilidade, de não terem feito nada da própria vida.

O primeiro passo é reconhecer a situação. O segundo é aceitá-la.


Eis algumas dicas importantes:

Crie uma nova perspectiva da situação. Você deve pensar naqueles aspectos que contribuem para o seu bem-estar. Muitas vezes o relacionamento com os filhos melhora quando eles já não estão em casa.

Dê força para o seu companheiro. Quando temos filhos, muitas vezes nosso companheiro fica de lado. Este é o momento de olhar para o seu companheiro, para sua relação e de realizar aquelas atividades que você tinha adiado. Esta é uma nova etapa da vida que você deve desfrutar totalmente.

Fale do assunto. Exteriorizar os seus sentimentos é o primeiro passo para melhorar. Às vezes, compartilhá-los com nossos entes queridos nos permite perceber que podemos superar esta situação.

Atividades prazerosas. Ao longo da vida as pessoas sempre sentem o desejo de realizar determinadas atividades que lhes dão prazer, mas as exigências diárias, às vezes, fazem com que estas terminem sendo adiadas. Faça uma lista de todas aquelas atividades que você gosta e se prepare para começar a fazê-las.

Pratique um esporte. O exercício físico é muito bom para a saúde e ajuda a relaxar. Saia para caminhar todos os dias por, pelo menos 30 minutos, e você notará como em pouco tempo se sentirá cada vez melhor.

Portrait of beautiful woman sitting at living room at sofa and holding hand a cup of tea while looking at camera and smiling.

Cuidado pessoal. Não se abandone, nem se deixe abandonar. Você deve buscar um cuidado pessoal adequado, hoje você tem tempo para isso. Volte a adotar o papel de mulher, além do de mãe.

Estimule a independência. É importante que seus filhos saibam que podem contar com o seu apoio nesta nova fase. Evite invadir a sua nova casa ou a sua vida com visitas ou telefonemas contínuos. Você deve deixá-los crescer, acompanhá-los e desfrutar com eles desta nova etapa da vida.

Conversar com outros pais que já passaram pela mesma situação pode ajudar. É um peso muito grande e injusto colocar no seu filho a responsabilidade pela sua felicidade. O importante é tirar o foco da ausência. Procure se lembrar de como você era e de como eram as coisas antes, faça o resgate de si mesma, afinal de contas, a única pessoa que caminha conosco a vida toda somos nós mesmos!

Se nada disso adiantar e a dor não passar, procure um tratamento psicológico; Fazer terapia pelo menos uma vez por semana e talvez até tomar algum medicamento com acompanhamento médico, para alívio dos sintomas é uma boa escolha.

 





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.