Sintomas de um coração ferido e perdido



Sintomas de um coração ferido e perdido. Quem nunca? A dor é o tempo do coração para entender aquilo que a mente já sabe.

Terminar um relacionamento com quem tivemos uma história importante e amamos muito não é fácil. Ficar triste, melancólico, de cama e até chorar de vez em quando seriam os sintomas mais óbvios de um coração partido, mas, às vezes, a dor é tanta que pode nos tirar do eixo e passamos a agir como jamais faríamos se não estivéssemos sofrendo por amor.

A gente se perde no descompasso do que a mente já sabe, mas o coração quer esconder, então, algumas das nossas atitudes podem ser:

1. Falar mal do(a) ex

Era o melhor namorado ou namorada do mundo, mas assim que terminaram mudou da água para vinho, melhor, para o esgoto. Ele(a) era muito menos do que a gente merecia. Aliás, quanta vilania! Como pudemos nos enganar? Mas na semana que vem reatamos o relacionamento.


2. Fazer-se de vítima

Após o término do namoro nos tornamos vítimas do ser descrito acima. Distorcemos um pouco as situações e até antagonizamos as intenções do(a) ex. Defeitos? Raros em nós. Fomos os melhores para quem nos foi ingrato. Ledo engano causado pelo sofrimento.


3. Falar demais

Contamos as mesmas histórias diversas vezes, como se quiséssemos encher de diálogo um balde furado. Dividimos nosso drama até com desconhecidos. É uma tentativa de amenizar a angústia no peito. E mesmo que não aguentem mais nos ouvir, continuamos falando sem parar.


4. Não conseguir pensar em outra coisa

É difícil de se concentrar no trabalho. Nos estudos, então, nem pensar. A angústia e a ansiedade remoem dentro do peito. Queremos arrancar o sentimento da gente e jogar longe, mas a dor do amor pede um tempo para sair da cabeça e do coração.


5. Quer mostrar que está bem.

A gente posta uma foto com um sorriso enorme na rede social, mesmo que esteja destruído por dentro, simplesmente, para não nos sentirmos por baixo. Fazer ciúmes com uma pessoa linda também é um sorridente e enganoso paliativo para a dor do término.


6. Não tem vontade de nada.

Sentimo-nos isolados em um bar lotado porque simplesmente nossa alma está em outro lugar. Por isso, é natural substituir um amor que se foi pela cama, deixando que a sofrência acabe com nosso ânimo de fazer qualquer coisa. É como uma gripe que nos exige repouso, mas sempre passa.




7. Precisamos de atenção.

Na dor do amor desejamos toda a atenção do mundo, mesmo que ela não seja suficiente. Não queremos saber sobre outras histórias que não as nossas, e isso não é egoísmo. Apenas um pedido de socorro para uma situação que nos tira do nosso prumo.


8. Sensação de que a vida acabou.

Quanto mais forte o amor, mais forte a ideia de que a não há mais razão para viver. Mesmo embora, o ciclo da paixão seja esse e a gente entenda que em alguns meses tudo estará melhor, porém, no coração a sensação é de que a dor será eterna e o mundo não faz mais sentido.

A indiferença de sentimentos ao fim da relação apenas provaria que o relacionamento não foi bom o suficiente para nos ferir. É natural agirmos assim na dor como resultado de um coração desiludido e um ego abalado que cria um vilão como defesa exatamente porque gostaríamos que fosse nosso herói ou heroína.

Faz parte do processo da paixão até que o coração entende o que a mente já sabia há muito tempo e, então, a dor se esvai, a saudade passa, o sorriso volta ao nosso rosto e a gente se abre, novamente, para o que de melhor essa vida tem para nos dar: o amor.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: natapetrovich / 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.