6min. de leitura

Só ajude se estiver bem

Inicialmente, talvez este texto lhe pareça um tanto clichê, mas leia até o final, pois, pode ser exatamente o que você precisa agora!

Fomos ensinados pelos nossos pais, pela religião e sociedade, que devemos sempre ajudar ao próximo, que é nossa obrigação praticar a caridade e o altruísmo. Sim, isso é verdade, afinal somos todos irmãos, somos todos filhos do Criador; somos todos um!


Porém, vale aqui uma ressalva, você já parou para pensar sobre o que exatamente Jesus quis dizer quando disse: “Amai ao próximo como a ti mesmo”?

Após muitos anos de profunda reflexão sobre a psicologia humana e a espiritualidade, percebo claramente que as palavras do mestre nos ensinam que, na verdade, precisamos amar profunda e completamente a nós mesmos primeiro para em seguida esse amor naturalmente transbordar e fluir para as outras pessoas.

Se ampliarmos essa concepção, podemos concluir que só conseguimos efetivamente ajudar alguém quando nos ajudamos, ou seja, eu só posso oferecer para o outro aquilo que eu já conquistei em mim mesma.

Caso contrário, estaremos apenas, como diz o ditado popular, “cobrindo um santo e descobrindo o outro”.


Eu falo isso com muita propriedade, pois, no passado, ajudava meus clientes de psicoterapia, mas não conseguia me ajudar. Esse comportamento é típico de muitos terapeutas e Carl Gustav Jung chamava de “Arquétipo do “Curador Ferido”; aquele que deseja curar as pessoas, mas esquece de suas próprias feridas.

Felizmente, à medida que fui expandindo minha consciência e adquirindo uma maior sabedoria, percebi que quanto mais eu me doava para alguém que eu cuidava, mais eu me sentia fraca e minha vida descia ladeira abaixo. Isso acontecia porque eu não me dava o que eu precisava, eu não me amava não me perdoava não me aceitava e principalmente não me cuidava como deveria.

Então, compreendi que a principal razão de estarmos aqui é para nos curarmos e para desenvolvermos todo o nosso potencial. Foi aí que comecei a me levar a sério de verdade, busquei a cura para a minha alma de todas as formas possíveis e imagináveis, passei a me priorizar e a me nutrir do mais puro amor por mim mesma.


A nossa maior responsabilidade é conosco, e, acredite, isso já dá bastante trabalho, logo não teria como você se responsabilizar pela vida de alguém.

Entenda que o máximo que pode fazer é dar a mão, mostrar um caminho, orientar, dar um carinho, contribuir e estar ao lado (se isso lhe fizer bem). Você jamais deve se anular, abdicar de seus projetos e sonhos, ou se maltratar em prol de outra pessoa, pois esse comportamento é uma psicopatologia (doença da mente) e se chama masoquismo.

No meu caso, foi a partir desta mudança comportamental e mental que a minha vida começou a fluir, tudo começou a dar certo e a se encaminhar da melhor forma possível, como se o Universo estivesse me dizendo: Nossa, finalmente você acordou, então vou ajudar e conspirar a seu favor! Minha energia foi potencializada e consequentemente passei a ajudar um número muito maior de pessoas, porque agora sim eu estava preparada para isso.

O nosso maior comprometimento pessoal, emocional e espiritual é com a gente, portanto você tem a obrigação e o dever de cuidar-se inteiramente.

Deus lhe deu a oportunidade de vir aqui para se desenvolver e brilhar, não desmereça esse presente, pois uma vez que você esteja bem, firme e se torne um ponto de luz no planeta, você será capaz de afetar positivamente muitas pessoas com a sua energia.

Enquanto você não faz isso e só ajuda os outros, além de se prejudicar, você pode estar também fazer mal ao outro, porque algumas vezes acontece de pensarmos ajudar, quando, na verdade, estamos apenas nutrindo o vitimismo, a zona de conforto e a estagnação da pessoa, pois ela pode estar viciada em não fazer nada em prol dela mesma, permanecendo acomodada apenas sugando e tornando-se dependente da sua energia.

Esse tipo de relacionamento faz com que ambas as partes não cumpram seu propósito de existência, gerando mais problemas e complicações.

Saiba que existem muitas formas de ajudar alguém, uma delas é tornando-se um exemplo de positividade e plenitude. Experimente incentivar o empoderamento da outra pessoa para que ela assuma total responsabilidade sobre a vida dela também. Faça isso antes que a sua vida passe e seja tarde demais, honre a si mesmo e priorize-se.

Ah, e se possível tente não ser reativo e interpretar mal minhas palavras, eu sei que o assunto é delicado e precisa de um nível de abstração.

Então, para o seu próprio bem, antes de refutar esta mensagem, feche os olhos, respire, ponha as mãos no seu coração e sinta-o falando: Olhe para mim!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / fizkes





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.