Sobre amar os homens…

Assim como as mulheres, os homens são arte, quadros em branco que, com suas experiências, pintam como quiserem, formando suas aquarelas de mistérios.

Pele de quem não liga para a roupa, e coloca a primeira que avista no guarda-roupas. Jeito de quem vive um dia de cada vez, sem esperar muito da vida ou de amores. Jeito de criança grande e com desejos expostos à flor da pele, que com seu olhar encanta e que com sua proteção e seu carinho, seu toque, balança.

Mais conhecidos pelas brincadeiras de roda, pelo futebol de rua que tira os tampões do dedo, pelo amor aos esportes e tudo que envolve um belo desafio. Conhecidos por traços fortes, olhares de peso de quem carrega tudo, para ser o “tal”, movidos por uma sociedade que os consome mais e mais.

Jeito de quem luta pelo que gosta, estabelece prioridades e não desfoca daquilo que realmente importa.

Sofrem em silêncio, “senhores da resolução de seus próprios problemas”.

Gostam, mas gostam escondido, com medo de serem fracos e vulneráveis. Demonstram com pequenas atitudes, escondidas nos mínimos detalhes.

Eles não são de palavras, deixe isso para nós, mulheres, que atravessamos nosso discurso antes mesmo dele chegar à nossa boca, no entusiasmo de nossas palavras, acalentadas por um bom humor exótico e uma sede de implicância com seus jeitos.

Eles têm a mania de pegar na cintura com aquela marra de “você é minha”. Reclamamos de não fazerem discursos, pudera eu também, que morro de vergonha de expressar certas reações, e minhas mãos soam.

Eles não se declaram o tempo todo, mas um “ eu me importo com você”, é capaz de abrir o coração mais frio. Ver um homem livre como um pássaro é o melhor presente para ele, estimulá-lo em suas conquistas, rir de suas palhaçadas e abraçá-lo de corpo e pele.

Assim como as mulheres, os homens são arte, quadros em branco que, com suas experiências, pintam como quiserem, formando suas aquarelas de mistérios.

Para todos os efeitos, um homem é capaz de causar todos os efeitos, mesmo com seus defeitos.

Eles simbolizam o que chamo de “amor de guerra”, e para eles, na guerra e no amor, vale tudo e tudo vale.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF / teksomolika



Deixe seu comentário