Sobre fazer 50 anos…

Talvez eu esteja velha demais para me importar…

Ou nova demais para perceber que não são os anos que passam e sim as pessoas…

E que não adianta querer segurá-las em sua vida, elas vão passar com ou sem você.

Talvez seja por isso que não me importo em dizer que estou fazendo 50 anos.

Ou, como disse meu pai: meio século!

E que século!

Tantas coisas aconteceram, coisas boas, coisas ruins, vitórias, derrotas, esperanças…

E as que realmente importam, ficaram na memória.

E não adianta querer esquecer, porque o tempo não perdoa, ele mostra.

Mostra no rosto, no corpo, na disposição, na alegria, na tristeza…

Na presença dos amigos, na ausência dos que já partiram…

Na certeza do reencontro.

E na esperança de que todos vamos envelhecer.

E até na incerteza da vida em si…

Nas conversas, nas festas, nas viagens, nas lembranças…

Fazer 50 anos é ter muita história para contar!

E outras tantas para esquecer…

É ter amigos que não deixam a gente esquecer.

É ter família que nos ajuda a lembrar.

É ter sobrinhos que não perdoam a nossa falta de memória.

É ter pais que ainda tratam a gente como criança.

Enfim, fazer 50 anos… é achar que a vida começa aos 50!

É saber que ela pode acabar em qualquer idade…

E que a única maneira de aproveitar a vida, é vivendo…

E que agradecendo a Deus, ela fica mais fácil.

É entender que nossa família nos é dada por merecimento.

Mas que os amigos são frutos de nossas escolhas.

E que mesmo assim devemos amá-los, a qualquer tempo, e em qualquer idade!

E que agradecer é, também, uma forma de amar.

E que para amar não importa a idade…

________

Direitos autorais da imagem de capa: victor4 / 123RF Imagens

 



Deixe seu comentário