Sobre a rotina: um dia ela foi uma grande novidade! – Peçamos a Deus um olhar mais grato sobre a vida!

Precisamos estar muito atentos para não banalizarmos aquilo que um dia foi buscado ou desejado com tanto anseio.

Precisamos lembrar de que a rotina é estabelecida para nos trazer tranquilidade e não para tratarmos com descaso as nossas conquistas.

É muito comum perdermos o encanto com as nossas bênçãos. Percebe-se isso nos casamentos, na vida profissional, nas aquisições como a casa própria, dentre outras conquistas. Fica a impressão de que a busca por um determinado objetivo foi mais instigante do que a conquista dele em si.

Talvez, o cônjuge pelo qual uma pessoa tanto lutou, enfrentando muitos obstáculos financeiros, familiares etc, hoje seja visto como uma espécie de “móvel empoeirado”  dentro de casa.

Provavelmente, ele, por incontáveis vezes fecha os olhos e vive os flashbacks dos tempos em que ele foi muito desejado e sentia-se incrível dentro da relação.

O sentimento de ter perdido a importância dentro de um contexto relacional, seja ele qual for, é muito negativo, e dentro de uma relação amorosa chega a ser o suficiente para adoecer uma pessoa.

E o que dizer sobre aquele emprego tão almejado? Há casos em que a pessoa estuda por muitos anos, praticamente anulando-se na vida social investindo em cursinhos e atravessando noites quase sem dormir para, finalmente, tomar posse naquele cargo público, daí, pouco tempo depois, perde a empolgação e alterna os seus dias entre odiar as segundas-feiras e sonhar com as sextas-feiras.

Aquele imóvel que a pessoa  tanto quis, tanto batalhou por ele e que, de joelhos orava a Deus, suplicando para sair do aluguel, então, ela recebeu a escritura e as chaves, mudou-se para ele e nunca mais sentiu-se grata por tamanha bênção, talvez nem sinta mais prazer em cuidar desse espaço tão sagrado.

Ao que parece, temos essa postura  de nos acostumarmos muito rapidamente com o que conquistamos, chegando ao ponto de neutralizarmos o sentimento de gratidão que era de se esperar mediante as nossas conquistas.

Minha intenção aqui não é de julgar ninguém, tampouco, faço generalizações. Mas acredito que vale a pena, de tempos em tempos, lembrarmo-nos do tempo em que não tínhamos o que temos hoje. Dessa forma, renascerá, em nós, a gratidão.

Do ponto de vista espiritual, creio que a oração mais sincera, em qualquer religião, seja o agradecimento. Toda pessoa, ao expressar gratidão, torna-se gigante espiritualmente pois assume perante Deus  e perante os seus semelhantes que ela depende do outro para existir, para sobreviver e para realizar algo.

Onde a gratidão é manifesta, há sempre uma atmosfera de contentamento. Aquele que agradece demonstra a alegria de ter sido ajudado e aquele que é reconhecido conscientiza-se do quanto fez a diferença na vida de alguém, o que o incentivará a continuar abençoando mais e mais vidas, num ciclo interminável de abençoados e abençoadores.

Peçamos a Deus um olhar cada vez mais grato sobre a vida. Que possamos reconhecer, em cada circunstância, o agir do nosso Pai Celestial que pode ocorrer de forma “terceirizada”, colocando em nossa caminhada, pessoas especiais e generosas, cujas mãos estarão sempre estendidas para nos acolher em nossas dificuldades, e que possamos, também, atuar como “prestadores de serviços” de Deus na vida dos nossos semelhantes.

Amém…Gratidão sempre! Até o próximo artigo.

__________

Direitos autorais da imagem de capa: gpointstudio / 123RF Imagens



Deixe seu comentário