O SegredoReflexãoVida

Sobre ter estado aqui

sobre ter estado aqui

Isso tudo é muito mais sobre mim do que sobre o mundo, é muito mais sobre como eu vejo e sinto as coisas, confesso que com uma peculiaridade ímpar.

É como desatar nós todos os dias, é como se minha palavra fosse um abraço que segura o coração de muita gente. Aí eu penso, talvez eu só tenha descoberto antes onde está a cura destas dores permanentes, é como se em segundos “eles” tomassem consciência do que realmente importa nessa vida, e logo depois a rotina engolisse toda essa certeza das pequenezas importantes. Eu confesso que não é fácil, nada fácil por sinal, mas é bom, tem paz nisso tudo, é libertador essa coisa de ter bons sentimentos. Dói de vez em quando também porque as pessoas tomam por conveniência.  Que fique claro que isso não faz de mim inocente, boba e etc. Isso faz de mim persistente, faz de mim cada dia mais forte, mais superior a todos esses julgamentos desconhecidos. A verdade é essa, não se precisa de muita coisa nessa vida.

Onde se vive para comprar, não se vive, se acumula. Onde se vive para reclamar e ser ingrato, não se vive, se morre dia após dia. A minha verdade não precisa ser a sua, e eu nem faço questão que seja, eu só quero deixar claro que estive aqui e porque estive.

Eu vim e fiz muito, não tive grandes bens, não tive muito reconhecimento, mas tive as coisas mais importantes dessa vida. Eu dei e recebi amor de verdade, eu fui abrigo por inúmeras vezes, minhas palavras trouxeram calma e esperança também, eu pude cessar lágrimas e causar algumas boas.

Eu estive aqui, eu amei e fui grandiosamente amada, eu aprendi e ensinei, eu recebi e me doei, eu fui eu, fui filha, irmã, amiga, tia, dinda, fui mulher até aqui. Me restam ainda alguns outros cargos que a vida não decidiu, mas eu juro que eu estou pronta.

Sobre ainda continuar por aqui, não te esqueças de guardar o que tens de mais valioso, não se exponha pra quem não sabe dosar, não se deixe a mercê de quem faz pouco caso.

O verdadeiro sentido de tudo é sentir, é o que levarás consigo, é o que deixarás no outro. Então te faz sentir, indaga sobre o que não sabes decifrar, mas entenda acima de tudo que qualquer que seja a resposta, não importa se não sentes. Nada irá ter valido a pena.

Como já dizia uma raposa da qual sou fã, “O essencial é invisível aos olhos, só se vê bem com o coração.” (O pequeno príncipe)

Quanto mais você reclama dos problemas, mais persistência eles ganham

Artigo Anterior

Não faça tempestade em copo d’água!

Próximo artigo