A solidão é mais mortal do que a obesidade, descobre novo estudo:



Os pesquisadores descobriram que os humanos estão enfrentando uma nova “epidemia de solidão”, e espera-se que fique pior.

Um novo estudo descobriu que a solidão pode ser um risco maior para a saúde pública do que a obesidade.

“Estar conectado aos outros socialmente é amplamente considerado uma necessidade humana fundamental – crucial para o bem-estar e a sobrevivência”, disse Julianne Holt-Lunstad, professora da Brigham Young University, enquanto apresentava a pesquisa na American Psychological Association Convention.

Quando as pessoas não estão atendendo às suas necessidades sociais – fazendo parte de grupos e de relacionamentos de apoio – isso cobra um pedágio tanto mental quanto físico.

Estudos do psicólogo John Cacioppo da Universidade de Chicago, descobriram que pessoas solitárias têm muitos problemas para dormir, sistemas imunológicos inferiores, perda de memória, depressão, alcoolismo, artérias com problemas (o que leva à pressão alta).

Viver sozinho também aumenta o risco de suicídio de uma pessoa, e as pessoas solitárias se estressam mais facilmente do que pessoas não solitárias. Quando têm interações sociais, tendem a ser menos positivas do que as outras pessoas – o que faz com que sua solidão se agite ainda mais.

Cacioppo até descobriu que os médicos oferecem um melhor tratamento aos pacientes com famílias que fornecem apoio.

A nova pesquisa de Holt-Lunstad envolveu duas metanálises. A primeira analisou 148 estudos anteriores – como os descritos acima – que juntos testaram mais de 300 mil participantes.

Os dados agregados mostraram que as pessoas solitárias realmente têm um risco 50% maior de morrer cedo.

O segundo projeto envolveu 70 estudos visando a conexão entre isolamento e mortalidade, representando dados de mais de 3,4 milhões de pessoas em todo o mundo.



Esta pesquisa em conjunto mostrou que o isolamento, a solidão e a vida isolada são iguais ou superiores a outros riscos de saúde mais comumente aceitos – como a obesidade – em termos de seus efeitos de morte prematura.

Se isso ressoa com você, saiba que não está sozinho. Milhões de pessoas sofrem de solidão crônica no mundo todo.

E, os autores dos artigos temem que o problema só piore. As taxas de casamento e o número de filhos por família estão em declínio.

“Com um crescente envelhecimento da população, o efeito sobre a saúde pública só se prevê aumentar”, disse Holt-Lunstad. “De fato, muitas nações em todo o mundo agora sugerem que estamos enfrentando uma ‘epidemia de solidão’. O desafio que enfrentamos agora é o que pode ser feito sobre isso”.

Algumas sugestões incluem exigir que os médicos examinem a conexão social, ensinando as crianças sobre o envolvimento social na escola e incentivando as comunidades a criarem mais espaços públicos para reuniões sociais.

________

Traduzido pela equipe de O Segredo  – Escrito por Annie Garau Fonte: Mystical Raven

Escrito por Annie Garau  Referências do texto:  Psichology Today –   John Cacioppo

Direitos autorais da imagem de capa: yanmingzhang / 123RF Banco de Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.