Solta que prende!

Solte o seu amor e prender-se-á a ele!

Deixe-o sentir a sua falta, ausência que se faça nota e nem sempre esteja disponível. Ele precisa reconhecer o seu valor, quando o seu valor não estiver por perto dele.

O ser humano possui a tendência de valorizar o inatingível.

“Solta que prende!”

Assim como as borboletas que retornam ao jardim bem cuidado, antes de se despedaçar por alguém ou até persegui-lo, cuide bem do seu íntimo, do molde físico de sua alma, do seu amor-próprio, da sua autoestima, da sua família, do seu todo, enfim, para que você esteja pronta para receber um novo e verdadeiro amor.

Antes de receber novo visitante em sua valiosa morada, limpe-a e prepare-se para oferecer um banquete a quem realmente o merecer.

“Solta que prende!”

Os pássaros, normalmente, fogem se alguém tenta pegá-los e, se os prender, permanecerão entregues à tristeza derradeira, contudo, se bem cuidar do seu habitat natural, provavelmente até se alimentem, livre e graciosamente, em suas mãos.

“Solta que prende!”

Tenha o controle, sem ter controle! “Prenda” com doçura, sutileza, sem, jamais deixar de lado a sua autoestima, o seu amor-próprio transbordante. Não deixe de fazer o que ama e o que lhe faz bem, sem que fira o respeito esperado entre o casal.

“Solta que prende”, pois você sentir-se-á em casa, mesmo sem estar nela. Acolha quem quer ser acolhido; deixe-se acolher por quem tem merecimento!

“Solta que prende”, sem arquitetar “jogos”, mas para fazer valer o auge do amor, a cumplicidade, a confiança, a fidelidade e lealdade e, principalmente, a força incondicional, que os céus projetaram gratuitamente para essa humanidade sedenta de amor!

“Solta que prende”, que sua alma chegará ao topo celestial, em profunda paz e leveza!

“Solta que prende!” Prenda-se ao amor que solta!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/Imagens



Deixe seu comentário