4min. de leitura

Somos capazes de perdoar milhares de pessoas e incapazes de perdoar a nós mesmos. Perdoe-se!

Não sei você, mas eu estou procurado praticar o perdão e também me perdoar.

Falar de amor, de renúncias, de perdas, vitórias, sucessos, fracassos, derrotas, conquistas são fáceis mencionar, difícil mesmo é praticar.


O perdão se torna fácil, a partir do momento que entendemos que todos temos nossas falhas e que ninguém nasceu perfeito, exceto Jesus Cristo.

Também não quer dizer que vamos esquecer do ocorrido, só não podemos permitir que esse sentimento de ódio misturado com amargura e rancor faça parte da nossa vida. O complicado mesmo é a gente se perdoar, entender, aceitar.

A dificuldade de dar um basta, de seguir o caminho, sem olhar para trás e para as circunstâncias, nos limita a ponto de não avançarmos para a próxima etapa.


Sabe, a fragilidade não está em nossas escolhas e sim em nós. Perdoar as nossas ações e atitudes são avanços.

Às vezes seguimos regras que não cabem a nós carregá-las nos ombros, a verdade é que a “sociedade” nos coloca este “fardo”.

Temos regras ou somos a regra. Essa é a mais pura realidade.

Não conseguimos mudar isso da noite para o dia, as cobranças estão impregnadas em nossa mente, dilacerando assim o nosso coração e adoecendo o nosso emocional.


Somos capazes de perdoar milhares de pessoas e incapazes de perdoar a nós mesmos.

Certa vez, ouvi algo que me fez refletir por uns bons dias: “ se não deu certo, não quer dizer que é profano”. Realmente, essa pessoa que considero abençoada na minha vida está certa.

Não podemos nos culpar por não amarmos quem um dia deixou de nos amar. Não podemos culpar a safra, se não cuidaram dos grãos e agora querem as melhores colheitas.

A questão é que o coração, a mente e o psicológico sofrem as consequências. O nosso emocional se nutre de amor, carinho, afeto, cuidado e dedicação e quando não é correspondido fica debilitado.

Confesso que perdoar a nós mesmos não é fácil. Eu, particularmente, busco entender e praticar o perdão. Diante de minhas inúmeras falhas, eu sei que também carrego comigo o desejo de melhorar.

Quem sabe o perdão esteja na aceitação dos fatos, nas verdades e compreensões do coração.

De um tempo para cá, evito carregar bagagens lotadas de cobranças e os fardos do fracasso.

Hoje, sinto-me mais leve, eu entendi que posso superar isso. Se eu consigo perdoar quem me ofendeu, também posso me perdoar.

Precisamos apenas seguir a nossa trajetória ao lado daqueles que nos amam e que sempre têm uma palavra de conforto, um ombro amigo e amor para nos oferecer quando a culpa quiser nos condenar.

Não sei que tipo de culpa o condena, a única coisa que sei é que você deve entender que nem sempre o próximo precisará do seu perdão e sim você precisará se perdoar. A vida terá outro sentido.

Perdoar-se é a fórmula da magia de se amar sempre. Então, vamos perdoar uns aos outros e, quando necessário, a nós também.


Direitos autorais da imagem de capa: Ina Soulis on Unsplash





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.