3min. de leitura

Somos como o desabrochar das flores, depois da mudança que Deus realiza na gente

Milagres acontecem, mas nem sempre é assim. Borboletas antes passam pelo casulo; lugar escuro, estreito e sem luz.

Deus quer nos amadurecer e nos evoluir para que cresçamos. Queremos os frutos, queremos uma bela árvore, mas não esperamos a ação do tempo, o preparo, a semeadura e o podar do que não é útil.


Deus trabalha calmamente em nosso ser; a paciência, humildade, bondade, amor (Gl 5:23).

Por que não esperar o tempo de transmutação? Os tormentos passam e os frutos ficam, para essa e a vida vindoura.

Geração diferenciada, sal da terra, que dá o sabor, e luz do mundo, que brilha enquanto todo o mundo vive em guerra.


Mas para isso há restrições, dores e complicações, dadas por Deus, os quais Ele não retira de nós até estarmos iluminados com todo o processo.

Enquanto o mundo sorri, choramos, mas “aqueles que semeiam com lágrimas, com cantos de alegria colherão. Aquele que sai chorando enquanto lança a semente, voltará com cantos de alegria, trazendo os seus feixes” (Salmos 126:5-6).

Chegamos no final com vitória, enquanto quem caminhava negligentemente, sem Deus, perde as esperanças.


Antes de Deus, éramos lagartas, e o mundo como faz com todos, pisava sobre nós, porém criamos asas e alçamos voo, agora os que rastejam não nos alcançam.

O tempo certo chega, e o que você via de beleza única, acontecendo na vida daqueles que amam a Deus, acontece de forma singular para você.

Não temos inveja. Deus nos dá aquilo, que nem nós sabíamos, mas que enche nossos corações de plena alegria.

Que todos tenham paz e confiem que é na escuridão mais intensa que mais brilham as estrelas, que o rosto triste, faz melhor o coração (Eclesiaste 7:3).


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF / Imagens.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.