ColunistasMulheres

Sou gordinha, e daí? Brasileira magrinha é importação!

gordinha 1

Uma amiga bailarina me confidenciou indignada, que está usando blusinhas mais soltas porque a barriga está saliente. Olhei para ela e soltei: para com isso, quem gosta de magreza é passarela e revista de moda. Senti seu olhar preocupado demais com detalhes de menos. Eu acredito que ser feliz ainda é o segredo para se viver bem, porque o corpo modifica o tempo todo.



Eu fico triste com quem se apega a modismos, se entrega a convenções e acredita que a aparência é o segredo para conquistar alguém ou ser feliz. Não é! Por mais que tentamos fechar a boca, contar as calorias para manter o peso e gastar horas do dia em uma academia, não é a salvação para se viver de bem com a vida.

Toda gordinha é charmosa, gostosa, e muitas se vestem melhores do que muitas magras. Elas tem um humor melhor porque não fazem dieta e amam seu corpo. Algumas tem cintura fina, formas avantajadas, rosto perfeito ou sorriso que encanta. O charme não está no tamanho do corpo, mas o que está na alma.

gordinha


Fazer dieta para melhorar a saúde ou a autoestima, se faz necessário para uma vida melhor, mas não deve ser sacrifício para ser interessante, ou estar em forma, ou ser um mulherão. De propaganda enganosa, a mídia está cheia, então pare de se achar gorda e sem graça, talvez, o seu problema seja você. Ao invés de contar calorias, conte sorrisos e invista no que você tem. Explore mais as suas curvas, seu rosto de boneca e sua comissão de frente impecável, porque os homens não distinguem mulheres esguias, saradas e curvilíneas, eles prestam atenção nos detalhes mais visíveis e no contexto quando se apaixonam.

Não vamos manter um corpo magro uma vida toda, porque nós, brasileiras, somos feitas de miscigenações. Com o tempo vamos ganhando peso devido a idade, então não é preciso neura, é preciso aceitação e amor próprio. Nos apegamos em detalhes pequenos demais, nos preocupamos com coisas banais ao invés de ter dias mais suaves. Mesmo magras, somos fartas, porque brasileira magrinha é importação.

A barriga vai aumentar com a idade, a celulite vai começar a gritar mais ainda, talvez algumas estrias decidem arrebentar, os vasinhos vão mapear as pernas, a flacidez vai assumir sua posição, o peso vai oscilar e, quem sabe, mudar o tamanho do seu manequim, isto tudo acontece para quem se atreve a viver uma vida longa. Então, é  assumir ou decepcionar.

Tem gente que já nasceu mais gordinha, outras ganharam peso na adolescência e nunca mais emagreceram, e daí? Eu sei que é dolorido entrar na loja e não achar uma roupa que caia bem, ou não ter o número que te cabe, mas ainda é melhor do que ter uma doença. O corpo ainda pode emagrecer com dietas, mudança de hábito e cirurgia, mas quem está em tratamento talvez não vai ser curado.


Excesso de fofurice apenas incomoda quando não há autoaceitação. Uma brasileira de corpo e alma, jamais vai ser esguia, porque esse padrão são das europeias. Eu odiei quando eles trouxeram para o Brasil as calças de cinturas baixas e baixíssimas, pois essas foram feitas para mulheres sequinhas e além disso ainda causa pneuzinhos, mesmo em quem é magrinho. Temos bumbuns avantajados e cinturas finas…

Pensar na dieta e na redução de estômago, fazem bem para o ego, desde que não seja tortura, porque você não vai conseguir. Emagrecer deve ser meta e vontade própria, caso contrário fica tudo para a segunda-feira, para a próxima lua cheia ou para o próximo milênio.

Não existem gordinhas mal vestidas, desajeitadas, feias, o que existe é a vontade de se feliz e amar o que você tem. Como já escrevi antes, amor próprio é libertador, porque retira suas negatividades, não dá ouvidos a indignações e deixa de lado as dificuldades. Amor próprio é vontade de recomeçar mesmo que gordinha ou cheinha.

Você pode ser quem quiser e ter tudo o que desejar, desde que não insista em ficar sentada esperando que o mundo faça acontecer. Não se esqueça: um alguém que te quer bem, vai prestar atenção no que você tem para oferecer, porque quilinhos a mais ou excessos,  são muito pequenos e pouco para um coração que ama.


Corra lá para o espelho, despe sua alma e vista a felicidade. Quem te quer bem, é você mesma antes de qualquer outra pessoa. Está gordinha? Que bom! Tem alguém, agora, neste exato segundo, que queria seus quilos para sobreviver.

Eu sei, não é fácil se aceitar, mas ninguém é perfeito e todo mundo é insatisfeito. Apenas carregue com você, todos os dias, barrinhas de como viver melhor. Um corpo é um corpo, que muda o tempo todo, e você precisa se adequar ou fazer o seu melhor.

– Simone Guerra


Seu amor é infantil, adolescente ou de gente grande?

Artigo Anterior

Imparável!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.