O Segredo

“Sou mulher e tenho barba.” A realidade das mulheres que fogem dos padrões

Capa Sou mulher e tenho barba A realidade das mulheres que fogem dos padroes

Elas assumiram seus pelos faciais sem medo do julgamento da sociedade!



Uma cantora chilena de 31 anos confessou que tem pelos no rosto desde a adolescência, mas sempre os retirava, algo que mudou drasticamente durante e depois da pandemia. Ela explicou o motivo ao portal chileno de notícias Página 7: Luta Cruz, a artista, estava vendo uma conversa quando percebeu que outra mulher tinha pelos faciais como ela. Cruz perguntou à moça sobre seus pelos, ao que ela respondeu que estava deixando sua barba crescer e que se sentia mais confortável assim. Naquele dia, resolveu parar de depilar a face e conhecer seu rosto por completo, pela primeira vez, diz ela!

A condição que a musicista vive é o hirsutismo , que faz com que o excesso de pelos cresça em partes do corpo de mulheres, como rosto, tórax e costas, segundo a Clínica Mayo.

E chamou tanto a atenção nas redes sociais, que uma publicação na qual mostra sua barba no Instagram já acumula mais de 400 mil visualizações, entregando uma mensagem importante.


Ela já abre a postagem dizendo que aquele conteúdo é diferenciado, falando sobre uma jornada cheia de novas sensações diárias sobre o amor-próprio que ter libertado seus pelos faciais lhe proporcionou. Cruz enfatiza que a diversidade é real e que não há um ser humano igual ao outro.

A cantora explica também que não queria que sua história fosse lida como uma brincadeira, pois já havia sido perguntada várias vezes se aquilo se tratava de uma performance artística ou apenas maquiagem, por isso ela decidiu fazer a publicação.

2 Sou mulher e tenho barba A realidade das mulheres que fogem dos padroes

Direitos autorais: Reprodução Instagram / @lutacruz

Cruz diz que é muito importante se conhecer e a partir daí se aceitar e se entender como uma pessoa única. Ela conta que descobriu que era seu direito como mulher descobrir seu corpo e rosto sem as intervenções estéticas, que nesse caso seria a depilação. Ela diz que não pensou muito sobre a decisão, apenas sentiu que era o certo e que lhe faria bem.


Sobre como seus quase 10.000 seguidores no Instagram e as pessoas em geral reagiram ao vê-la como uma mulher barbada, Luta diz que a sensação é “agridoce”. Seus seguidores a apoiam e recebeu muitas mensagens de mulheres que passam pela mesma condição, o hirsutismo.

Por ter começado sua mudança durante a pandemia, com o isolamento social, ela sentiu que tinha mais liberdade para se conhecer, sem se expor aos olhares alheios, porém já teve contato com algumas respostas mais ingratas sobre sua aparência. Ela relata que a maior parte dos insultos que recebe vem de homens, que associam, erroneamente, sua imagem barbada à falta de higiene. A cantora diz que isso pouco a impacta, mas ainda é incômodo.

Outra mulher artista que assumiu seus pelos faciais foi a ilustradora Ana Laura Dino, mexicana, de 31 anos. Ela conta que estava no ensino médio quando seu namorado apontou algo que estaria errado nela: seu rosto tinha muitos pelos e ele disse a ela que deveria raspar sua face.

Convencida de que era preciso cuidar do problema dos pelos tímidos que acabavam de aparecer no queixo, Ana passou a eliminá-los com cremes depilatórios, produtos que, além de oferecer solução provisória, pois não eliminam os pelos pela raiz, só dissolvem o que está rente à pele, causaram queimaduras e surtos de espinhas, os quais pioraram o quadro. A barba ainda crescia e, aos 15 anos, já tinha de tirá-la diariamente, numa rotina que levava quase duas horas e que fazia sagradamente antes de ir para a escola.


Essa rotina totalmente secreta durou dos 13 aos 28 anos, até que assumiu sua barba para o mundo ver, inclusive incorporando-a à sua vida de artista. Os cabelos de Ana e a barba geralmente estão em cores coordenadas e em suas redes sociais ela se chama abertamente de “peluda”, sem resquício algum do teor pejorativo que esse termo costuma ter para as mulheres.

3 Sou mulher e tenho barba A realidade das mulheres que fogem dos padroes

Direitos autorais: Reprodução Instagram / @pinchepeluda.

Ana Laura e Luta são exemplos de coragem para todas as mulheres, pois escolheram o conforto e a liberdade ao invés de qualquer imposição social!


Depois de 72 anos de namoro, elas finalmente puderam se casar!

Artigo Anterior

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.