Colunistas

“Sou porta-bandeira de mim”

SOU PORTA BANDEIRA

Não é preciso mostrar as pessoas além do que você é, o importante é mostrar de verdade quem você é, o que realmente possui.

Impressione alguém pelo que de real possui, não invente o que você não é…

Impressione com o seu coração, com a sua alma, com coisas de verdade…

Seja quem você é, independente de qualquer pessoa ou situação…

A autenticidade ainda é considerada um “artigo de luxo” no mundo atual, onde a hipocrisia, as imagens “fakes” brilham mais, ou convencem mais quem não está nem um pouco comprometido com a verdade, em ser de verdade, quem não está interessado com a imagem real.

Há quem prefira não ter compromisso com autenticidade e ser muito sem nenhuma verdade, porém eu prefiro qualquer quantidade que seja sentimento autêntico e de verdade.

Pessoa real, mesmo com todos os equívocos e contradições, é muito mais bonita do que pessoas que parecem absolutas em sua aparência, perfeitas em sua roupagem, mas não são autênticas, não possuem verdade em nada que mostram…

Existe mais poesia nas pessoas que mostram sua parte sombra, há beleza em todas as partes que não são perfeitas dos seres humanos.

Pessoas que se mostram, que não ficam receosas de serem autênticas, de falar coisas que sentem, pensam são mais atraentes, são mais ousadas, são pessoas muito mais interessantes.

Existem muitas pessoas de mentira, pessoas que escamoteiam e aparentam ser quem não são, desta forma as relações ficam vazias, são evasivas e superficiais…

Quem prefere ser autêntico possui mais autoconfiança, olha com mais leveza seus erros, consegue dar mais valor ao que considera e acredita, em vez de ficar refém dos julgamentos e críticas alheias. Quem consegue ser autêntico, também consegue ter uma autoestima mais elevada e possui amor considerável por si mesmo a ponto de não se cobrar tanto ser perfeito, ser só uma imagem bonita e que convence aos que o olham, mas não convence a nenhum coração, não convence a sua alma.

Ser de verdade requer autoconhecimento e liberdade para expressar aquilo em que acredita, aquilo que realmente é sem precisar convencer ninguém de nada….

Mas todo processo que implica verdade, requer exercício constante e libertação dos padrões impostos, requer libertação de um padrão social e cultural, e isso só é possível aos poucos… e com muita autocompreensão.

Um dia de cada vez…. Encontrar a própria essência não é para qualquer um, é para quem se dispõe em mergulhar em si mesmo todos os dias. O essencial é para quem mão abre não da liberdade e da autenticidade.

Ser quem você é, independente da opinião e julgamento de muitos é para quem se dá muito valor e acredita no que possui de melhor, independente de seus erros e sombras.

Seja de verdade, seja livre!

Infinito Partícular (Marisa Monte)

“… Eis o melhor e o pior de mim

No meu termômetro o meu quilate

Vem, cara, me retrate

Não é impossível

Eu não sou difícil de ler

Faça sua parte

Eu sou daqui, eu não sou de Marte…”

“… Vem, cara, me repara

Não vê, ‘tá na cara

Eu sou porta-bandeira de mim

Só não se perca ao entrar

No meu infinito particular

Em alguns instantes

Sou pequenina e também gigante…”

0 %