ColunistasAmorReflexão

A sua ‘’the one’’!

A SUA THE ONE FOTO DE CAPA E FOTO DE DENTRO

O amor é como uma música. Ela toca quando menos esperamos. Pode ser quando você está na padaria esperando o pão porque o forno do padeiro deu problema e toda a última fornada queimou, e então… PUM! Você escuta a música.



Gostaria de poder explicar literalmente qual é a sensação -o que, sem dúvidas, me deixaria famosa, imaginem só: “Finalmente, descrição do amor foi encontrada!”-, mas não, o amor não é como uma receita de miojo, não é instantâneo, pode demorar pra acontecer.

Às vezes sua música começa quando encontra sua “the one”, você pode achar que a sua música demorou demais pra tocar, você pode achar que já ouvira músicas lindas, mas sempre, “aquela” vai ser a sua preferida.

A SUA THE ONE - FOTO DE CAPA E FOTO DE DENTRO


Você pode, passar a sua vida toda procurando sua música, talvez ouça uma nota aqui, um pouco da melodia ali e, como Klaus disse, você vai encontrar vários dfhsdiufhsiduhfisudh, que significa: “a coisa que é quase a coisa que você quer, mas não é bem assim”, mas ainda sim, não vai ser a sua the one.

É inevitável: ao longo de sua vida, você vai namorar e encontrar pessoas que irão te magoar, mas, após uma série de colapsos emocionais, o universo lhe dará a maior recompensa: o amor que você merece. Não espere que o universo lhe traga o que você quer, na hora que você quer, porque vai ser no tempo dele, e quando for, simplesmente vai acontecer.

Você vai encontrar a sua the one, que lhe fará esquecer de todas as dores que já passou, mas te fará lembrar o porquê de nunca ter desistido. Provavelmente, você só vai encontrá-la quando desprender-se de toda e qualquer ilusão exagerada sobre o amor.

Não ache que é sair olhando pra todo mundo na rua que você vai encontrar a sua the one, mas como Judge Fudge disse: “Quando se está certo, você só sabe”.


Porque sabe, às vezes, a história não é sobre encontrar um guarda-chuva amarelo, por mais que pareça ser, a história, na verdade, é sobre como guardar a blue french horn

À beira mar: a infelicidade é contagiosa!

Artigo Anterior

As emoções e as memórias da nossa divertidamente…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.