5min. de leitura

Sua vida está travada? Conecte-se com a energia do perdão!

Em certas épocas da vida, parece que, literalmente, paramos no tempo. Ficamos com vários setores estagnados:

O setor amoroso, onde nossas relações com familiares e colegas ficam dificultosas e conflitantes e nossos relacionamentos amorosos “esfriam” ou mesmo terminam e, pior ainda, nem ao menos começam. Por mais que conheçamos pessoas novas, sentimos que a coisa não flui, não vai para frente.


Nosso setor financeiro também fica prejudicado e temos a impressão de que as contas duplicam sem, que saibamos como e o dinheiro não é mais suficiente para pagar tudo em dia. Ficamos exaustos e frustrados, vivendo apenas para pagar dívidas.

Tudo isso abala nosso emocional. Ficando deprimidos e aí a tendência é que tudo piore 10 vezes mais, pois uma pessoa triste, cansada e frustrada, enxerga tudo muito pior do que realmente é. Consequência dessa nuvem negra que tapa nossos olhos? Nosso setor da saúde, desmorona. E então nos vemos na famosa e temida “maré de azar”, na “crise”, na “tsunami” que realmente quer nos engolir.

“Desgraça nunca vem sozinha”, as pessoas dizem. E é bem verdade, uma vez que nos deixemos ir à lona por conta de um problema ou uma desventura da vida e não conseguimos resolver como precisamos, passamos a vibrar na frequência do problema. Emanamos energia do medo e da tristeza e isso atrai cada vez mais problemas e situações conflitantes para nós.


Nessas horas fica mesmo um tanto difícil praticarmos verdadeiramente a gratidão e voltarmos para o fluxo do bem-estar. Peço para que você reflita um pouco sobre a vida e veja se não há aí dentro do seu coração, algum perdão não dado. O perdão, assim como o amor e como a gratidão, é uma energia e uma energia poderosa.

O que perdoamos se vai de nós, se dissipa, o que apenas bloqueamos, permanece dentro de nós.

Você pode varrer para debaixo do tapete, mas com um vento mais forte, tudo vem à tona. Mas SUPERAR é outra coisa, requer tempo, pois como o próprio nome já diz, superar é “tornar-se superior”, “vencer”, ou seja, só SUPERA quem enfrenta algo. É diferente de bloquear.


O que muito vejo são pessoas que bloqueiam os sentimentos para não sofrerem mais, mas isso não quer dizer que esses mesmos sentimentos se dissipem sozinhos. Você pode bloquear, a sua mente tem esse poder. Mas o que acontece depois do bloqueio é que a mente joga esse pensamento “impedido” para outra pasta, mas não o exclui verdadeiramente, apenas deleta o atalho.

Aí nós enchemos a mente e entulhamos o coração e desse jeito só acumulando os sentimentos sem processarmos de verdade, sem fazer a síntese necessária. Quando nos damos conta, somos um depósito de tudo que fomos um dia. De resquícios de outras pessoas. De mágoas que nem deveriam mais existir. De crenças e medos que já superamos faz tempo, mas nos esquecemos de dar a descarga emocional. E amor também tem prazo de validade e é sempre bom ficar de olho.

Perdoe. Perdoe a si mesmo, primeiramente, pois esse é o perdão mais difícil de se conseguir. E em seguida, libere espaço no seu coração, fazendo a faxina na alma e perdoando antigos rancores. Só quando o seu coração estiver limpo e livre, novos e bons sentimentos entrarão nele.

O perdão faz as energias do Universo se moverem e, desta forma, saímos da areia movediça atual.

Mesmo que a pessoa ou a situação não “mereça” tal perdão, lembre-se de que você também já teve que ser perdoado ao menos uma vez nessa vida, todos somos humanos e, como tal, imperfeitos. Além do mais, o perdão traz benefícios excepcionais a quem perdoa! Mais até do que quem é perdoado, eu arrisco dizer.

É um detox na alma! Até a nossa saúde melhora. Paramos de arrastar a corrente e nos libertamos.

Certas vezes a Vida precisa dessa sua atitude para voltar a ser gentil e sua amiga. Faça as pazes com a Vida! Acerte as contas consigo mesmo. O perdão é um sinal de maturidade e de evolução espiritual.

E nunca se esqueça, evoluir é a nossa missão na Terra. Perdoar é divino. E vital.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: belchonock / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.