publicidade

Talvez, tudo que eu precise agora seja de mim…

Talvez agora eu não precise de amor. Não precise de alguém especial. Talvez eu só queira coisas que estejam erradas para mim no momento. Talvez eu ainda precise expandir meus horizontes, viajar por diferentes oceanos, conhecer mais pessoas que me inspirem e apenas ter a liberdade de escolher aonde ir, quem ser e o que fazer, sem ter outro alguém distorcendo minha imagem perfeita.



Talvez eu ainda precise aprender mais sobre que tipo de amor que eu quero. Eu quero um tipo tradicional de amor? Aquele que é seguro e estável. Ou preciso de uma aventura? Um tipo de amor selvagem. Um amor que não possa ser domado. Talvez eu ainda precise saber se estou tentando encontrar amor ou se estou apenas tentando entender meu coração.

Talvez eu precise de mais tempo para descobrir o que meu coração realmente precisa. Talvez eu só precise limpar meu coração de todo o dano que eu causei e todos os ferimentos adquiridos.

Talvez eu precise amar meu coração de um jeito que ninguém soube. Talvez eu precise ser para mim tudo o que tenho pedido às pessoas para ser.

Talvez eu precise ser a minha pessoa, por enquanto. Segurar minha própria mão. Abraçar-me para dormir. Aprender a ser o meu maior fã. Talvez eu só precise de mim mesmo agora, porque qualquer um que vier em meu navio pode afogar.


Talvez eu só precise navegar sozinho, porque ninguém sabe como me guiar. Ninguém sabe onde eu pertenço. Talvez Deus continue me deixando sozinho por uma boa razão. Talvez ele não queira outra pessoa para distrair-me de mim mesmo. Talvez ele esteja lembrando-me de que eu nunca vou encontrar o que eu estou procurando, se não conseguir encontrar a mim mesmo.

Acredito que existam dois tipos de pessoas neste mundo; aqueles que possuem o desejo de estabilidade e segurança, estes são os que se casam ainda jovens, que nunca tem problemas para encontrar um parceiro atrás do outro.

E então, há aqueles que buscam a magia, aventura, euforia e são esses que sempre lutam; aqueles que não sabem que tipo de amor  querem, aqueles que sempre querem amor, mas não sabem o que fazer com ele quando o  encontram. Talvez seja algo meu experimentar mais angústias do que amor, porque eu faço a minha própria segurança. Eu sou a minha própria segurança. Eu sou o único que sabe como acalmar o caos em minha mente e curar as feridas em meu coração.


Talvez eu só tenha a intenção de cuidar de minhas próprias cicatrizes, porque eu sou a única pessoa que sabe o quanto elas são profundas. Tudo o que eu preciso agora sou eu, porque eu preciso trabalhar neste relacionamento comigo mesmo. Para consertar os anos que eu me atormentei. Para reparar o que  foi quebrado. Para reinventar-me e resgatar a mim mesmo.

Talvez, por enquanto, eu seja o único para mim, porque eu preciso aprender a viver com isso – tudo isso.

Eu sei que posso viver comigo para sempre, só preciso descobrir como tornar essa relação a mais bonita e mais significativa de minha vida.


Direitos autorais da imagem de capa: niserin / 123RF Imagens

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: Thought Catalog

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.