Família

“Tem sido uma vida tão boa.” Irmãs tatuam as últimas palavras do pai, que morreu de covid-19

Anna e sua irmã Abrielle tiveram a chance de se despedir do pai em seus momentos finais, quando perceberam que ele havia escrito em um papel suas últimas e comoventes palavras.



Os casos de covid-19 seguem fazendo vítimas em todo o mundo, deixando famílias em pedaços, em luto por seus entes queridos. O desespero toma conta dos amigos e parentes, que se sentem desamparados apenas com a possibilidade de membros da família, com quadros sérios e comorbidades, contrair a doença.

Foi assim que Anna Harp e sua irmã Abrielle Clausing, no Arkansas, Estados Unidos, se sentiram em relação ao pai, Rudolph Clausing, que não poderia, de forma alguma, contrair covid-19.

Em entrevista ao Today, Anna conta que ele tinha uma doença pulmonar hereditária, o que tornava tudo ainda mais grave. As filhas não puderam ter contato com o pai desde que a pandemia começou, porque queriam protegê-lo do risco de contrair a doença. O pesadelo da família começou quando Rudolph foi diagnosticado com coronavírus, em novembro do ano passado, aos 66 anos.


Ele foi hospitalizado, mas tudo parecia correr bem, inclusive chegou a receber alta, podendo voltar para casa, desde que usasse o oxigênio. A equipe médica explicou que ele ia melhorar, bastava aumentar um pouco o oxigênio nos momentos ruins.

Porém, uma pneumonia não detectada fê-lo retornar ao hospital, e não saísse mais. Rudolph não progredia mais, os pulmões mostravam sinais de extremo cansaço por enfrentar a covid e a pneumonia. Era um sinal de que sua hora se aproximava. Todos já sabiam que o pai estava perto de falecer, e as irmãs pensaram que não conseguiriam lhe dar o último adeus, mas um membro da equipe, comovido com a situação, deixou que elas o vissem.

Direitos autorais: reprodução/arquivo pessoal.

Direitos autorais: reprodução/arquivo pessoal.


Anna conta que, assim que encontraram o pai, apenas queriam dizer o máximo de palavras bonitas que conseguissem, tentando pensar em tudo que queriam dizer naqueles poucos minutos.

Eles se abraçaram muito e as duas disseram quão gratas eram por ter um pai como ele, além de falar que tudo ficaria bem e ele podia ficar em paz. Enquanto davam o último abraço, Anna reparou que tinha um pedaço de papel ao lado do pai, que dizia: “Tem sido uma vida tão boa.”

Depois que Rudolph faleceu, as irmãs pensaram muito naquele pequeno recado que ele tinha deixado e decidiram homenageá-lo fazendo um desenho na pele que ficaria ali para sempre. Anna conta que as duas sentiram que precisavam disso, que não tinha nada de mais especial do que suas últimas palavras.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@fairyontheprairie.


Direitos autorais: reprodução/arquivo pessoal.

A tatuagem em Abrielle é a reprodução exata da letra do pai, do mesmo jeito que estava escrito, enquanto Anna optou por fazer um desenho floral para acompanhar a frase escrita em uma letra diferente. As duas compartilharam a história no TikTok e o vídeo viralizou, com mais de 172 mil curtidas e muitos comentários de conforto e reconhecimento.

Com carrinho de mão, adolescente vende pães caseiros nas ruas para realizar o sonho da mãe de abrir padaria!

Artigo Anterior

Há 21 anos, mulher se dedica a construir casas com garrafas pet para famílias pobres na América Latina

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.