3min. de leitura

Temos o livre arbítrio de amar!

Por quantas vezes já me questionei: “até que ponto temos o livre arbítrio!?

Até que ponto podemos de verdade escolher o que queremos!?” Sabe aquele momento em que você quer muito alguma coisa e parece que tantas outras te travam? Por isso, no passado, tanto me questionei.


Em uma meditação, após um pedido sincero ao Divino, tive uma resposta: nós, seres humanos, temos sim o livre arbítrio. Temos o livre arbítrio do amor, podemos escolher o amor frente ao ódio, a preocupação, ao estresse. Podemos amar o que acontece conosco, ou odiar. É uma escolha decidir qual sentimento vamos alimentar.

Será que o que tanto queremos é mesmo o melhor para o crescimento da nossa alma?

E a vida é sobre isso:


Estamos encarnados com o único e maior objetivo de escolhermos amar ao invés de odiar.

Estamos aqui na terra, para colocarmos nossos dons e talentos, que são as nossas formas de expressar o amor, a favor do próximo, e temos a escolha de optar sempre pelo amor frente ao caos.


Independente do que aconteça no seu  mundo exterior, você tem o livre arbítrio no seu mundo interior, em escolher o amor.

Em escolher a paciência, a resiliência, a calma, ao invés de transformar algum problema ou preocupação em energia tóxica para o seu corpo.

Sim, se estressar no trânsito é uma escolha.

Sim, brigar com sua Irmã é uma escolha.

Sim, se irritar com seu (sua) companheiro (a) é uma escolha.

Sim, ficar chateado porque foi contrariado é uma escolha.

Temos a oportunidade de colocarmos mais amor em nossas vidas, desde pequenas atitudes até grandes feitos.

Temos o livre arbítrio de amar, e é nesta somatória de atitudes cheias de amor, que conseguimos nos conectar com o nosso Divino interior, encontrar a nossa plenitude e força para nosso crescimento mais profundo: o da alma.

Sempre que você for sair do seu estado de espírito equilibrado, lembre-se, você tem o livre arbítrio para continuar pleno. É uma escolha.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.