Tenha gratidão por tudo que vem, por tudo que vai. Não passe a vida reclamando ou se comparando a alguém.

Quando você agradece, enumera aquilo que tem?

Ou pensa no que você é e nas suas ações? Você se compara com o outro?

Eu sempre ouvi dizer que a gente tem que agradecer porque tem comida, quando muitos não têm; por possuir uma casa, quando muitos nascem e morrem sem conseguir; por isto ou por aquilo e a lista é imensa, mas, sempre, se compararmos nós e nossa vida com a de outros menos favorecidos. Eu não concordo com isso. Por essa linha de pensamento, os que possuem mais que nós, será que também comparam sua vida com a nossa e se sentem felizes com isso?

Gratidão brota no peito, se você gosta de ser grato. Não precisa ser justificada, é óbvia. Gratidão por viver e por ter todos os recursos disponíveis para essa vida ser usufruída em profundidade, gratidão por absolutamente tudo, pela esperança de igualdade e a existência é vasta, não faltam motivos.

Gratidão por ter bons sentimentos, ser solidário, gratidão por ver arco-íris, gratidão por ter calma em instantes tensos, por ter alma disposta a perdoar.

Gratidão por ter a chance de dar, oferecer, ensinar e aprender que nada é imutável e que tudo é relativo, dependendo do momento, do enfoque ou da necessidade.  

Em compensação, a dor ou doença do outro não me incentiva a agradecer minha saúde, a falta de trabalho do outro não me deixa eufórica e com uma justificativa plena para que eu agradeça por meu emprego, a solidão do próximo não faz eu me sentir maravilhosamente feliz, se tenho uma relação harmoniosa com alguém, porque o outro pode representar eu também, ontem ou amanhã, e serve para me lembrar que tudo é passageiro. Não há motivo de comparação com a finalidade de agradecer.

Gratidão eu sinto por fazer parte do mundo, por ver, ouvir, falar, compreender, ter todo o necessário para sobreviver, mas, principalmente, sou grata por ter caráter, humildade e humanidade suficientes para não me comparar a nada nem a ninguém.

E você, o quanto de gratidão você tem? Você agradece pela chuva que cai na hora em que você precisa sair? Você agradece pelo pão nosso de cada dia mesmo se só tiver, margarina barata para colocar dentro?

Você agradece e reclama alternando tons do seu humor? Você precisa da muleta da desgraça do outro para sentir que é abençoado?

Qual a dose de amor que você consegue distribuir para os famintos e pedintes todos os dias? Você percebe que em tudo pode descobrir graças infinitas, benditas e ao seu dispor sempre?

Gratidão é espontânea, jamais forçada. Tem gente que acha que precisa agradecer só para colher, mas o sentimento verdadeiro não está ali, não existe.

O que adianta dizer que é grato pela comida e todos os dias jogar quase metade do alimento no lixo? Como dizer: obrigado pelos meus amigos e no dia seguinte por qualquer motivo se sentir insatisfeito com uma opinião divergente de algum deles e já fazer daquilo um cavalo de batalha e se afastar, ao invés de dialogar?

Agradecemos pela casa que temos, mas a negligenciamos; pelo parceiro leal que não valorizamos, pelo trabalho insano que não nos deixa tempo para perceber quão grandiosos são os momentos simples, sem cobranças sobre comportamentos corretos para todos, como se tivéssemos decorado algum manual.

E você sabe o que realmente faz mal? Agradecer sem sentir gratidão, reclamar até a exaustão sobre atos dos outros sem perceber que as vezes aquele conjunto de gestos que nos irrita pode ser uma rica experiência para nosso aprendizado de aceitação.

Faz mal ficar se comparando, porque aquele que aparentemente tem menos pode ter muito a ensinar na arte de aceitar as condições adversas e o que demonstra possuir mais, pode ter carência de inteligência suficiente para desenvolver suas aptidões, deixando-se levar pela monotonia, não ter a chance de experimentar a criatividade, sem buscar nada de novo, nem mesmo uma aventura que lhe renda conquistas no currículo da vida.

Não se compare porque você é único, maravilhoso e insubstituível, não houve nem existirá ninguém como você. Dignifique sua existência nesse planeta. Agradeça de coração por tudo, por todos, pelo muito ou pouco. Nunca se desespere, nada é eterno e as situações difíceis passam.

Se você consegue ser grato, independentemente de sua situação atual, com certeza vai ter mais motivos ainda para agradecer.

Tenha gratidão por tudo que vem, por tudo que vai, seja fácil ou difícil. Se não ficar satisfeito mude a situação, é seu direito, mas não passe a vida reclamando ou se comparando a alguém.

A existência é rica, abundante e generosa. Acredite, a sua essência é um bem que pode reverberar em luz para o mundo. Seja grato pela liberdade, pelo pensamento, por qualquer momento de reflexão.

– Obrigado! Você não é obrigado a dizer, mas se o fizer, que seja profundo, que não seja um lamento, que seja oração.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: vukvuk / 123RF Imagens



Deixe seu comentário