Tenha o seu pai no seu coração, para que você encontre um amor só seu



Podemos amar nossos familiares e sempre, sempre mesmo, prezar pela felicidade deles. Podemos querer que eles sejam felizes e intimamente pensamos, sentimos e sofremos quando há algo errado.

Nossa família é nosso centro, de onde vem nossa energia. A Constelação Familiar nos mostra que quando temos dentro de nós essa energia fluindo com leveza, nós podemos escolher nossos caminhos também com leveza, sem nós que amarram nosso fluxo de amor.

O que nos separa do nosso fluxo de amor na nossa vida é, portanto, o que também nos separa dos nossos familiares. Quando nós, mulheres, temos dificuldades em relacionamentos, intimamente estamos procurando reproduzir a relação com nosso pai e tentando encontrar uma forma de consertá-la. A relação pode não ter existido da maneira que queríamos, mas ela existiu. No fundo, não cabe a nós consertar dessa maneira, pois, racionalmente, não faz muito sentido.

Porém, é o que inconscientemente fazemos.

Tivemos um pai ausente e que não nos deu a atenção devida no nosso julgamento e aí nós vamos procurar um marido, um namorado que não está disponível, pode estar envolvido com outras mulheres, pode não querer nos assumir, pode estar com a gente, mas preocupado e envolvido com suas próprias questões.

E aí, quando nos deparamos com esse padrão de repetição e de dor, nós não entendemos que nós é que buscamos isso, para recriar, para reviver e para ficar um pouco parecido com o que percebemos que nosso pai fazia.

Tudo isso por amor, mesmo que não aparente ser.

Todas nossas experiências servem para nosso crescimento. Quando percebermos esse padrão de comportamento e repetição, podemos fazer um exercício interno de olhar para nosso pai com amor.



Mesmo que ele tenha sido ausente, mesmo que ele tenha mil defeitos e atitudes que foram reprovadas por você e pela sua mãe, ele é o seu pai. E ele a trouxe aqui, para viver essa aventura de vida. Sem ele, você não estaria onde está hoje.

A constelação nos ensina a olhar para todas as pessoas, como pessoas possíveis. Tudo o que somos é o que foi possível, o melhor que poderíamos fazer e ter, com o que aprendemos e sofremos na nossa vida. O mesmo aconteceu com o seu pai, com sua mãe, com os seus avós.

E, para buscar um amor diferente, um relacionamento que seja seu e não uma repetição do que você encontrou na sua infância ou adolescência, e não continuar buscando inconscientemente o amor do seu pai, você precisa ter o seu pai no seu coração.

Sem julgamentos, sem críticas. Simplesmente com amor.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/Imagens.






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.